A Argentina suspendeu os voos domésticos e a circulação de ônibus e trens de longa distância por cinco dias, numa medida contra a pandemia de coronavírus para impedir a movimentação interna de turistas, informou o governo nesta terça-feira. “O objetivo é desencorajar viagens de fim de semana prolongado e promover uma conscientização absoluta”, declarou o ministro dos Transportes, Mario Meoni, em entrevista coletiva.

Na próxima terça-feira, 24 de março, é feriado em memória às vítimas da última ditadura (1976-83) no país. Na segunda-feira, 65 novos casos de infecção por Covid-19 foram registrados, dois deles fatais. Os prefeitos de vários centros turísticos estão exigindo que os cidadãos evitem ir às suas cidades, apesar dos danos econômicos resultantes.

Além disso, o governo anunciou, nesta terça, aumentos nos subsídios para pobres, aposentados, mulheres desempregadas e grávidas sem recursos financeiros. As autoridades da área social e previdenciária anunciaram que quase 9 milhões de pessoas que tomaram empréstimos ao consumidor com o Estado estarão isentas do pagamento da taxa por dois meses.

Outro paliativo anunciado será o aumento das aposentadorias de 5 milhões de aposentados que recebem o salário mínimo (18.500 pesos) em 3.000 pesos (cerca de 46 dólares), bem como ajuda a 550 mil desempregados e 4,3 milhões de crianças cujas famílias são pobres. Centenas de milhares de trabalhadores foram dispensados de frequentar seus empregos e convidados a trabalhar de casa.