Rafael Andrade
Tubarão

Desespero, preocupação, indignação. São alguns dos sentimentos de milhares de moradores ribeirinhos ao rio Tubarão. Não só os habitantes da Cidade Azul, mas de toda a região. De Lauro Müller a Laguna, o susto e os prejuízos eram incontáveis logo na manhã de ontem.

Em Tubarão, da meia-noite até o início da tarde de ontem, 25 milímetros de chuva foram registrados. Isso causou a invasão das águas em centenas de casas. Na rua Cândido Darela, bairro Morrotes, margem esquerda, a água com barro continuava nas casas e a previsão da Defesa Civil e de estações metereológicas era de que o nível baixasse somente a partir de hoje à tarde.

“O rio Tubarão está na minha casa. Acordei de madrugada para retirar os móveis e salvar a minha família”, lamenta o aposentado Itamar Vieira, 57 anos.
A cozinha, um quarto e uma área de serviço foram tomadas pela água. Ratos, baratas, lagartos e galinhas mortas, além de galhos e pequenos eletrodomésticos rondavam a casa dos ribeirinhos. “Se não fechássemos a porta a tempo, com certeza, estas nojeiras entrariam na minha casa”, lembra Itamar.

Na casa vizinha, do casal Neide Teresinha dos Santos, 61 anos e Antônio Procks, 51, a situação era parecida. Com os olhos vermelhos e cheios de lágrimas, Dona Neide implorava por apoio dos órgãos públicos. “Temos escritura, mas a Defesa Civil e o Ministério Público nos informam que moramos em áreas de risco, no entanto, não nos dão opções para sairmos daqui”, lamenta a aposentada.
Eles pedem mais atenção dos órgãos responsáveis. No mais, esperam as águas baixarem e seguem as suas vidas.