Tatiana Dornelles
Tubarão

A antecipação do 13º salário é uma ‘faca de dois gumes’. Para algumas pessoas, nada melhor do que receber um dinheirinho a mais na metade do ano. Para outras, é ruim, pois se acaba gastando com coisas (ou contas) desnecessárias.

Este mês, cerca de 800 mil aposentados e pensionistas de Santa Catarina receberão da Previdência Social a antecipação do ‘salário extra’. Serão pagos 50% agora e os outros 50% no fim do ano. A metade do 13º virá junto com o benefício referente a agosto e o pagamento será feito na conta corrente ou no cartão magnético dos beneficiários.

O presidente da Associação dos Aposentados e Pensionistas de Tubarão, Antônio João Rodrigues, é contra a antecipação. “Não acho bom porque a gente gasta com o que não deveria. O aposentado vive com o salário apertado no mês e este valor extra é mais útil no fim do ano. Com o 13º completo dá para fazer algo diferente, programar gastos. Claro que também há pessoas a favor da antecipação”, considera.

Ele explica que seria melhor se os aposentados pudessem optar pela metade do 13º salário adiantado. “Infelizmente, não é por opção. É imposto pelo governo, empurrado ‘goela abaixo’. Se eu pudesse escolher, iria preferir receber todo o 13º no fim do ano”, diz. A associação conta, atualmente, com 900 aposentados.

A antecipação do pagamento de 50% do 13º salário foi confirmada nesta quarta-feira pelo ministro da previdência, José Pimentel. Em todo o Brasil, serão pagos R$ 21,9 bilhões, sendo que R$ 15,04 bilhões são da própria folha do mês e R$ 6,9 bilhões decorrentes da antecipação.

Os segurados que estão em auxílio-doença também recebem uma parcela dos 50% da antecipação. Em 85 anos da Previdência Social, é a terceira vez que o governo antecipa o pagamento do 13º salário. A primeira foi em 2006. A medida faz parte do acordo firmado com as entidades representativas dos aposentados.