Lages/Imbituba

A moradora de Imbituba, Cristiane Pereira Ponciano, de 42 anos, terá que fazer um enxerto de pele nas pernas, após sofrer queimaduras após sofrer um acidente doméstico enquanto fritava salgadinhos para uma encomenda. A cirurgia está marcada para a próxima quarta-feira (18), no Hospital Tereza Ramos, em Lages.

De acordo com o esposo de Cristiane, Mario de Souza Ponciano Junior, há evolução no caso da mulher, porém é necessário passar pelo procedimento cirúrgico. “ Os médicos se mostraram felizes com a cicatrização e afirmaram que não há mais nenhum perigo. Ela está reagindo bem e tem sido muito bem assistida. O atendimento é de primeira qualidade”, enfatiza.

Ele conta que nesses dias em que a esposa está no hospital, em tratamento, a cunhada Josiane Pereira, é acompanhante da irmã. No entanto, devido a repercussão do fato nas redes sociais duas voluntárias moradoras de Lages se disponibilizaram a ajudá-las na casa de saúde. “Essas duas mulheres quiseram colaborar conosco e estão nos apoiando nos cuidados com a Cristiane. Ela já começou a fazer fisioterapia, sente dores neste procedimento, mas o importante é que está melhorando”, assegura.

Cristiane, sofreu queimaduras de 1º e 3º grau nas duas pernas. O filho da mulher de 7 anos, foi usar a lixeira próxima a mãe e esbarrou em Cristiane, que estava com uma panela quente de óleo. Para o óleo não virar no garoto, ela puxou a panela para si e o produto acabou caindo sobre as suas pernas. Desde o ocorrido, ela fazia o tratamento das queimaduras com uma enfermeira particular. Na última terça-feira ao passar pelo atendimento de um médico, ele a encaminhou para a internação no hospital da cidade portuária e posteriormente ela foi transferida para o hospital na Serra Catarinense.

A queimadura de primeiro grau acomete apenas a epiderme, a camada mais superficial da pele. Seus sinais e sintomas são dor intensa, vermelhidão e edema no local. Esse tipo de lesão não produz bolhas na pele, geralmente melhora de 3 a 7 dias, podendo ocorrer descamação da pele no local, sem deixar sequelas. Já a queimadura de terceiro grau provoca destruição total da pele, atingindo a epiderme, derme e anexos cutâneos (pelos, glândulas…), podendo atingir ainda estruturas abaixo da pele, como gordura, músculo, tendões e ossos. A lesão geralmente é ressecada, forma crosta de tecido desvitalizado, que ao ser removida, deixa ferida ulcerada. A cicatrização dá origem a cicatrizes fibróticas, podendo ocasionar retrações e restrições de movimento.