O ministro da Economia, Paulo Guedes, admitiu que o governo federal estuda liberar recursos do PIS-Pasep e Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para estimular o consumo na economia. “Vamos liberar PIS/Pasep, FGTS. Muito em breve, assim que saírem as reformas. O problema é que se você abre essas torneiras sem as mudanças fundamentais, é o voo da galinha. É tudo agora, nas próximas três, quatro semanas”, disse. 

Perguntado se a medida também envolveria a liberação das contas ativas do FGTS, o ministro confirmou. As declarações foram dadas na manhã desta quinta-feira (30/5), na sede da pasta, em Brasília. Apesar do empenho em liberar recursos, Guedes defendeu que o governo federal tem feito seu papel para melhorar a economia e culpou a política econômica expansionista das gestões anteriores pelo Produto Interno Bruto (PIB) fraco do país.

Economia recuou 

Nesta quarta, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostrou que a economia brasileira recuou 0,2% no primeiro trimestre do ano. É a primeira taxa negativa para um trimestre desde o quarto trimestre de 2016. “Não faltou nada”, disse Guedes sobre possíveis ações que pudessem aquecer a economia no primeiro trimestre. 

“Nós temos incompletos quatro meses e o presidente enviou as duas principais reformas para o Congresso: a do (Sérgio) Moro, contra a criminalidade, e da Previdência, que é a mais importante. Então, menos de quatro meses, as propostas estão lá. Quanto mais rápido houver a aprovação disso, mais rápido nós destravamos o resto”, apontou. 

Foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Pr/Divulgação