#Pracegover Na foto, vista panorâmica de Imbituba e ao fundo o mar
Foto: Banco de imagens Notisul

A morte de um morador de rua, registrada no início da semana, acendeu um alerta em Imbituba. Por conta do aumento no número de pessoas em situação de rua, a maioria de outras localidades, que não tem residência próxima ou ocupação, o Poder Executivo Municipal decidiu reunir os representantes de vários seguimentos para debater o assunto.

Durante a reunião, foram levantadas alternativas para o atendimento às pessoas em situação de rua. “Também falamos sobre a segurança dos moradores, tendo em vista que, alguns desses os andarilhos têm passagem pela polícia, inclusive, com dívida com a justiça em aberto”, disse o prefeito Rosenvaldo Júnior.

Segundo o Tenente-coronel Luiz Carlos Cruz, a questão é complexa e não é uma exclusividade de Imbituba. “Essa é uma realidade que assola vários municípios brasileiros. Por isso, ficou acertado aqui, que a Polícia Militar vai estar alinhada com a assistência social do município, para que, a partir de agora, seja feita uma força-tarefa para cadastrar e identificar quem são os moradores de ruas”, completou o comandante.

Com o cadastramento, será mais fácil identificar, caso algum andarilho ou pessoa em situação de vulnerabilidade social venha a se instalar na cidade. No encontro, também foram discutidas outras ações educativas que possam contribuir para a solução do problema.

Na sala de reuniões do gabinete do governo municipal, estiveram presentes, o Prefeito de Imbituba, Rosenvaldo da Silva Júnior, o Vice-prefeito, Antônio Clésio Costa, a Secretária de Assistência Social e Trabalho, Stela Lane Napoleão, o Comandante da Guarnição Especial de Imbituba, Tenente-coronel Luiz Carlos Cruz, o Delegado de Polícia, Juliano Baesso, o Procurador Geral do Município, Cadir Cargnin, bem como, assistentes sociais e vereadores.