#Pracegover Foto: na imagem há um homem de terno
#Pracegover Foto: na imagem há um homem de terno

A 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) declarou que o ex-juiz Sergio Moro foi parcial nas decisões sobre o ex-presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, o Lula, no âmbito da operação Lava Jato. Para a maioria do colegiado, os ministros Gilmar Mendes Ricardo Lewandowski e Cármen Lúcia, o ex-magistrado agiude forma diversa nos casos, já os ministros Edson Fachin e Kassio Nunes Marques divergiram dos seus pares.

Nesta quarta-feira (24), um dia após o julgamento que condenou suas atitudes na operação Lava Jato, o ex-juiz Sergio Moro se posicionou nas redes sociais. “Todos os acusados foram tratados nos processos e julgamentos com o devido respeito, com imparcialidade e sem qualquer animosidade da minha parte, como juiz do caso”, assegurou.

Ele firma que está tranquilo e tem absoluta certeza de suas decisões, todas fundamentadas, nos processos judiciais, inclusive quanto aqueles que tinham como acusado o ex-presidente.” O Brasil não pode retroceder e destruir o passado recente de combate à corrupção e à impunidade e pelo qual foi elogiado internacionalmente. A preocupação deve ser com o presente e com o futuro para aprimorar os mecanismos de prevenção e combate à corrução e com isso construir um país melhor e mais justo para todos”, observou.

A defesa buscava a nulidade da ação penal relativa ao triplex e dos demais processos a que o ex-presidente responde. Os advogados sustentavam que o fato de Moro ter recebido e aceitado o convite do presidente eleito em 2018 Jair Bolsonaro para assumir o Ministério da Justiça a partir de janeiro de 2019 demonstra a sua parcialidade em relação ao ex-presidente e revela que ele teria agido durante todo o processo com motivação política.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul