Brasília (DF)

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) se comprometeu ontem em adiar a publicação do edital para implantação das praças de pedágio no trecho Sul da BR-101 até um novo parecer do Ministério da Infraestrutura. A decisão se deu após uma audiência de gabinete, em Brasília, com a presença do prefeito de Tubarão e presidente da Federação Catarinense de Municípios (Fecam) Joares Ponticelli, integrantes do Fórum Parlamentar Catarinense e da Associação de Municípios da Região de Laguna (Amurel).
 
Inconformados com as recentes manifestações de que o trecho Sul receberia quatro praças de pedágios – em Laguna, Tubarão, Araranguá e São João do Sul – com valores bem acima dos praticados no trecho Norte, as lideranças políticas da região se mobilizaram para reverter um possível cenário de estagnação econômica no trecho Sul. Eles foram recebidos pelo diretor-geral da ANTT, Mário Rodrigues Júnior.
 
O prefeito Joares Ponticelli, que esteve nas três audiências públicas para esclarecimentos sobre a concessão, lembra que a ANTT desconsiderou todas as situações apontadas nesses eventos, inclusive a realização de obras estruturais como forma de compensação pelo pedagiamento. A agência e a frente parlamentar irão agendar uma audiência com o ministro da Infraestrutura Tarcísio Gomes de Freitas para buscar uma solução que atenda às lideranças.
 
“Manifestamos a nossa não aceitação dessa proposta do jeito que está posta pela ANTT, que não nos deu respostas sobre as três audiências públicas realizadas no Sul. Foi acordado que a agência e Frente Parlamentar Catarinense irão agenda uma audiência com o ministro dos Transportes para que possa ser discutido todo o processo e se for necessário reiniciá-lo. Não temos como aceitar em Santa Catarina diferenças tão brutais entre o pedagiamento do trecho Norte e o Sul”, destacou Ponticelli.