A Caixa Econômica Federal foi a agência pioneira no cumprimento da lei. Os clientes e trabalhadores do banco aprovaram o resultado, que dá maior segurança a todos - Foto:Cristiano Soares/Prefeitura de Tubarão/Notisul
A Caixa Econômica Federal foi a agência pioneira no cumprimento da lei. Os clientes e trabalhadores do banco aprovaram o resultado, que dá maior segurança a todos - Foto:Cristiano Soares/Prefeitura de Tubarão/Notisul

 

Tubarão
 
Imagine ir ao banco para sacar uma grande quantia em dinheiro, ou saber detalhes de sua conta, e ter uma fila de pessoas atrás, a observar o que você faz? Era mais ou menos esta a situação nos bancos de Tubarão. Em 2010, o prefeito Manoel Bertoncini (PSDB) aprovou a lei que exige dos estabelecimentos bancários a instalação de biombos (divisórias) nos caixas.
 
A pioneira em cumprir a regra foi a Caixa Econômica Federal. Segundo a gerente do estabelecimento, Maria Valéria Menegaz, os clientes gostaram da novidade. Especialmente por terem maior privacidade nas transações.
“Qualquer iniciativa que dê mais segurança aos nossos clientes, sempre é bem-vinda”, elogia Maria Valéria.
 
Do outro lado do balcão, os consumidores aprovaram a medida. “Se eu precisasse contar o dinheiro, tinha que ser ‘escondidinho’. Hoje já é diferente e bem melhor”, afirma o eletricista, João Augusto Ramos.
 
Desde que a lei entrou em vigor, a prefeitura intensificou a fiscalização para o cumprimento da regra. Hoje, após a aplicação de algumas multas, apenas uma agência na cidade segue em descumprimento da norma: o Bradesco. A instituição já foi notificada e terá dois meses para se adequar.
 
O fiscal José Carlos Cascaes garante que as vistorias neste setor serão contínuas. “Desde que a lei foi sancionada, trabalhamos sistematicamente para colocá-la em prática. Apesar da necessidade de multar, hoje até mesmo os bancos entenderam que a Lei do Biombo gera segurança também para as próprias agências”, avalia Cascaes.