Liliane Dias
São Ludgero

 

Apesar do número de infectados crescer a cada dia, notícias boas ainda podem ser contadas. Uma delas foi o final feliz de Justa da Silva Vicente, que aos 90 anos, mostrou a sua força e vontade de viver. A moradora de São Ludgero foi diagnosticada há 11 dias com covid-19 e teve alta nesta terça-feira (23).

A nora Claudinéia Eyng Vicente, conta que no último dia 12, a idosa teve os primeiros sinais de gripe. No dia 15 ela foi levada no médico. “Foi feito um raio-x e uma tomografia e apresentou que um dos pulmões estava muito comprometido”, relembra.

No dia seguinte, terça-feira (16), o teste de covid-19 foi feito e Justa testou positivo. Ela foi encaminhada para a sua casa de onde seria observada. “Mas na quinta-feira ela começou a sentir falta de ar. Levamos em São Ludgero primeiro onde passou pela triagem e depois encaminharam para Braço do Norte”, explica a nora.

Uma nova triagem foi feita no Hospital Santa Teresinha e novos exames foram realizados. “Os exames apresentaram uma piora no quadro, o pulmão dela tinha piorado. Ela já ficou internada para tratamento”, pontua Claudinéia.

Foram seis dias internada. Mesmo por conta da restrição e não poder recebê-la no retorno para a casa, o momento foi de alegria imensa para a família. “A médica disse que ela não pode receber visitas por 10 a 15 dias. Deve permanecer isolada”, conta a nora.

Os dias de isolamento foram difíceis. Principalmente de internação por conta de estar sempre bem-disposta. Justa é dessas pessoas que demonstram até no olhar o quanto amam viver. “Adora sair, frequentava o grupo de idosos, nem parece ter a idade que tem. É um grande orgulho”, comemora Claudinéia.

Para a família foi um susto, mas ela reagiu tão bem a medicação que nem precisou ser encaminhada para nenhuma Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Permaneceu no Hospital Santa Teresinha, em Braço do Norte até esta terça-feira (23), quando teve alta, ou seja, quando teve o seu ‘final feliz’.