O ano de 2017 começou diferente para o acadêmico do curso de Direito da Unisul, Jésus Lopes, aos 62 anos e acompanhado de sua esposa, saiu da sua cidade Juiz de Fora, em Minas Gerais, para estudar ao longo de seis meses na Espanha, na Universidade de León (ULE), “Sei que não é muito comum alguém da minha idade estar num curso de graduação e, mais ainda, fazendo um intercâmbio fora do Brasil”, comenta.

Lopes tinha muitas dúvidas sobre porque estudar fora do país e pensou muito sobre isso. As suas inquietações se dissiparam quando ele se perguntou o porque deixar passar a oportunidade e não fazer o intercâmbio. “Minha esposa e eu arrumamos nossas malas e partimos para o novo desafio de nossas vidas. Nossa primeira parada na Espanha foi em Madrid. Passamos dois dias lá para comprar roupas mais adequadas para o frio”, relata. De ônibus seguiram para a cidade de León em uma curta viagem de quatro horas. “Quando chegamos já estava escuro, embora não fosse muito tarde, no inverno os dias são bem mais curtos. Nos hospedamos em um hotel que faz parte de um antigo monastério, onde ficamos por uma semana até acharmos um apartamento para alugar”, conta.

O aluno diz que a cidade que abriga a Universidade de Leon, parceira da Unisul, é fácil conseguir algo para alugar e a própria universidade lista uma série de opções. “E principalmente para esse primeiro momento em que tudo é novidade, a universidade conta com um programa de apadrinhamento. Nele, estudantes locais se prestam a ajudar os intercâmbistas nas suas necessidades mais prementes, como, encontrar uma habitação, circular pela cidade, conhecer o campus universitário, etc”, explica.

O brasileiro também conta que a primeira atividade do estudante estrangeiro é um curso intensivo de espanhol de duas semanas, realizado no Centro de Idiomas da universidade, uma atividade não obrigatória, mas recomendável. Depois vem a semana de orientação, dedicada a conhecer as diversas instalações da universidade e as múltiplas atividades propiciadas aos alunos, além da efetivação da matrícula. “Para a matrícula podem ser escolhidas disciplinas de qualquer curso, mas há uma exigência mínima de 12 créditos. Matriculei-me em duas, de seis créditos cada: Derecho del Trabajo (graduação em Administração e Direção de Empresas) e Derecho Público del Turismo (graduação em Turismo), ambos os cursos da Facultad de Ciencias Económicas y Empresariales. Embora seja acadêmico do curso de Direito, optei por estudar em outra faculdade, a de Ciências Econômicas e Empresariais por causa dos horários das aulas, de modo a conciliar melhor o tempo de estudo com o destinado ao turismo, que também faz parte desse período de intercâmbio”, explica.

O retorno de Jésus Lopes e sua esposa para o Brasil está próximo. “Certamente vamos sentir saudades dessa agradável cidade de León e da querida ULE. Agradeço a Unisul por essa oportunidade de poder experimentar coisas novas. E, se alguém tem alguma dúvida em fazer ou não um intercâmbio, meu conselho é aproveite a chance, faça!”, conclui.