Lorena sempre checa as condições do produto antes de comprar, especialmente as carnes e embutidos
Lorena sempre checa as condições do produto antes de comprar, especialmente as carnes e embutidos

 

Karen Novochadlo
Tubarão
 
Comprar qualquer tipo de alimento sempre exige cuidados. No caso de carnes e embutidos a atenção deve ser redobrada. Em Joinville, uma mulher morreu no último domingo, supostamente após a ingestão de mortadela estragada. O fato ganhou notoriedade no estado e fez com que consumidores e estabelecimentos comerciais ficassem mais atentos.
 
No município do norte, todos os alimentos da mesma marca e lote da mortadela supostamente estragada foram retirados de circulação. Em Tubarão e região, nenhuma medida  neste sentido foi tomada.
 
Isto porque a Vigilância Sanitária estadual ainda não emitiu nenhum comunicado sobre a necessidade deste tipo de manobra. Os produtos do lote ainda são analisados. Caso haja confirmação, aí sim as mortadelas serão recolhidas. “Agiremos conforme a notificação da Anvisa. Não há motivo para pânico e nem para deixar de consumir o produto”, confere o chefe de setor da Vigilância Sanitária de Tubarão, Elias Gonçalves. 
 
A principal suspeita no caso de Joinville é de que a mortadela estaria contaminada pela bactéria causadora do botulismo. Esta doença é rara, mas altamente letal. Em Tubarão, um caso suspeito foi acompanhado no ano passado, mas o resultado dos exames indicaram que não se tratava de botulismo.
 
Para evitar situações assim, quem dá a dica é a atenta e experiente consumidora Lorena Correia Vieira, 75 anos. A aposentada só compra os embutidos se estiverem dentro da data de validade e com um bom aspecto. “Tem que ficar de olho e, na dúvida, deixe na prateleira”, ensina.