Zahyra Mattar
Tubarão

Um cena rotineira em Tubarão: vacas, bois, bezerros e cavalos pastam tranquilamente pelas ruas, completamente soltos. A situação é mais acentuado na região da avenida Padre Geraldo Spettmann (da rodoviária). Os terrenos não cercados e cheios de mato servem de ‘casa’ para os bichos.

O problema é quando fogem. Eles invadem a rua, ficam nas calçadas e geram confusão no trânsito. Não é tão raro os registros de animais soltos feito junto a Guarda Municipal. Na verdade, isso começou a se tornar uma constante. Esta semana, um destes casos ocorreu novamente. Alguns bois estavam soltos. Além do tumulto que causaram, os animais colocaram em risco a integridade física de quem transitava por ali.

Populares telefonaram para a Guarda Municipal, que foi até o local. “Os bois estavam estressados e assustados. Foi complicado capturá-los”, confirma o guarda Davi Laurentino. Com muita cautela e paciência, os agentes conseguiram contornar a situação e levar os animais até um local seguro.
Os guardas municipais acionaram a empresa responsável pelo recolhimento de animais de grande porte abandonados. “Quando um bicho atravessa uma rua movimentada como a avenida, pode causar acidentes graves. Já houve registros assim em Tubarão”, lembra o guarda Maciel Brognoli.

Os animais foram encaminhados para um local adequado e ficarão à disposição do proprietário descuidado. Caso o dono dos animais não compareça nos próximos dias para regularizar a situação junto à prefeitura, os bois serão doados para instituições de caridade ou leiloados.

Participe
Está matéria foi sugerida pelos guardas municipais Davi Laurentino e Maciel Brognoli. Envie a sua também: redacao@ notisul.com.br.

Na sala de aula
Vacas, bois, cavalos e outros animais de grande porte que pastam pelas ruas são um perigo para o trânsito. Na cidade, existem muitos locais onde estes bichos são criados. Um exemplo são os terrenos na avenida Padre Geraldo Spettmann (da rodoviária). Lá, sempre tem uma vaquinha que foge do pasto.

A lei municipal diz que estes animais só podem ser criados em locais considerados rurais e não nos centros urbanos. O problema quando ocorre um acidente é encontrar o dono do bicho. Como sabe que terá que pagar o prejuízo, ninguém dá as caras.
Com a instalação do canil municipal, este problema deverá ser minimizado porque o lugar também terá um espaço reservado para os bois, vacas e cavalos sem dono.