Wagner da Silva
Braço do Norte

Nestes tempos modernos, a internet é uma das ferramentas mais utilizadas para encontrar pessoas e reaproximar famílias. E, quem diria, também foi pela rede mundial de computadores que a cadelinha Lara reencontrou seus “pais humanos”, Ademir e Eliane Schmoller, de Braço do Norte.
Lara desapareceu no dia 30 de dezembro de 2007, enquanto a família passava as festas de fim de ano no balneário Campo Bom, em Jaguaruna. Ademir e Eliane passaram meses atrás da bichinha e nunca encontraram nem uma pista de onde Lara poderia estar.

Mariana, filha do casal, recebeu um e-mail da amiga Tamara Gonçalves, moradora de Capivari de Baixo. Na mensagem, enviada em novembro do ano passado, Tamara buscava alguém interessado em adotar uma cadelinha que vivia na rua, próximo da sua casa. Junto com o texto, uma foto. E adivinha “quem” era a canina!? Lara. Em carne e osso.
Eliane telefonou para seu pai, que também mora em Capivari, para buscar a cadela. O reencontro foi emocionante. “Foi chamá-la pelo nome e Lara já veio ao nosso encontro, com o rabinho abanando. Todos ficaram muito emocionados”, recorda Eliane.

Pelo aspecto de Lara, Eliane acredita que a cadela tenha vivido durante todo este tempo na rua. “Provavelmente, alguém a pegou em Campo Bom, trouxe até Tubarão e soltou na rua. Lara estava com sarna e não comia mais ração. Quando vimos o estado em que ela estava, ficamos com o coração partido”, diz Eliane, emocionada. Aos poucos, Lara começou a se readaptar à vida em família. Hoje, está mais gordinha e é a alegria da casa. “Ela continua carinhosa e amiga como antes”, elogia a “mãe humana” de Lara.