#Pracegover Na foto, Edinéia Silva aparece usando um respirador
Foto: Arquivo pessoal

A moradora de Tubarão Edinéia da Silva (42 anos) corre contra o tempo para desacelerar os sintomas do Lúpus que a deixa impossibilitada de realizar tarefas simples do dia a dia como comer e tomar banho sozinha. Atualmente ela recebe cuidados do filho de 18 anos e da irmã que mora ao lado de sua casa.

Edinéia luta contra a doença há 14 anos desde que começou a sentir os primeiros sintomas como dores nas articulações, febres, manchas pelo rosto e corpo e queda de cabelos. Assim que foi diagnosticada com a doença iniciou o tratamento em Florianópolis.

Durante esse período Edinéia sofreu um AVC Isquêmico, teve pneumonia, embolia e passou a fazer uso de oxigênio, mas aos poucos foi se recuperando. Até que cerca de 2 anos atrás a médica que a atendia em Florianópolis foi substituída, e a nova profissional entendeu que o diagnóstico de Edinéia não era Lúpus, que deveria parar com a medicação e fazer uma nova investigação.

O problema é que ao parar com o tratamento, Edinéia teve uma piora no quadro de saúde, até que o tratamento foi transferido para Tubarão e as investigações continuaram por aqui. De acordo com Edinéia, o médico que a atendeu confirmou que o diagnóstico é Lúpus, então voltou com as medicações e parte do tratamento faz pelo SUS.

“Em dois anos fui piorando a cada dia, hoje não posso comer, andar, estou perdendo as forças musculares, uso sonda gástrica e respiro com um tubo no nariz”. Semana passada Ednéia começou a fazer quimioterapia e passará por 4 sessões.

Até o ano passado, quando parou de se locomover sozinha, Ednéia trabalhava o quanto podia para pagar as contas. Hoje vive com uma pensão de cerca de R$ 1.500 que servem para pagar exames com custo alto e não estão disponíveis no SUS porque já foram realizados por outros pacientes e compra parte da medicação.

Outra preocupação de Edinéia, é que a cadeira de rodas que utiliza hoje precisa de reparo. O encosto é de tecido e está começando a rasgar. “Se tiver alguém


É para isso que servem os amigos!
Para ajudar a manter o tratamento de Ednéia, amigos se reuniram para criar uma vakinha online e também arrecadaram prêmios para a realização de uma rifa. O valor arrecadado para a vaquinha foi levantado em R$ 90 mil, já a rifa custa R$ 10 e vai ser sorteada em 28 de março; entre os prêmio eletrodomésticos e eletrônicos.

Os amigos também criaram no Facebook o Bazar Beneficente Vida e Esperança, para ajudar no tratamento da Neinha, como é conhecida.

O motivo de receber toda essa ajuda é que Neinha sempre se dedicou ao trabalho voluntário e agora vem a retribuição! Ela e a amiga  Marly Fernandes administram um grupo de doações chamado de “Estou doando a carentes” onde arrecadam doações de amigos e de pessoas solidárias e distribuem as famílias carentes. As doações vão desde alimentos, roupas, brinquedos, enxovais para recém-nascidos.

“Este foi o único ano que não pude ajudar minha amiga pois eu que estou precisando ser ajudada, mas ano que vem quero estar de volta ao trabalho. Peço que me ajudem , eu quero viver, ganhei uma netinha e quero poder coloca-la no colo, abraçar, beijar e não posso”.

Quem tiver interesse em comprar a rifa ou ajudar Neinha de outra forma pode entrar em contato com ela pelo telefone 9 9941.4808 e também com Marly 9 91880.444.

Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul