Amanda Menger
Tubarão

No terceiro dia de fiscalização do Conselho Regional de Educação Física (Cref) e da Vigilância Sanitária de Tubarão, ontem, seis academias foram vistoriadas e uma delas teve as atividades suspensas. Terça-feira, outros dois estabelecimentos foram fechados. Ao todo, os fiscais visitaram 26 empresas.

Entre as irregularidades encontradas, está a falta de alvará sanitário e de profissionais formados em educação física e com registro no conselho. Os proprietários das academias que tiveram as atividades suspensas terão 15 dias para regularizar a situação perante a vigilância e o Cref. Todos os casos serão repassados ao Ministério Público, onde serão tomadas as providências cabíveis.

Em outras academias, foram encontradas pequenas irregularidades, como a falta de aterramento nos chuveiros, inexistência de cartazes sobre o risco do uso de anabolizantes e colocação dos nomes do responsável e do quadro técnico no mural.
A fiscalização do Cref é feita desde 2000. Neste ano, a campanha “Cuide de sua Saúde” foi realizada em Florianópolis e Joinville. Nas próximas semanas, o trabalho se estenderá a outras cidades.

Para o agente de orientação e fiscalização do Cref, Fabiano Braun de Moraes, a postura nas academias mudou. “Temos observado que há uma maior consciência por parte dos donos de academias. Eles estão contratando profissionais formados e com registro. Também notamos que o número de estagiários diminuiu. Porque antes os acadêmicos de educação física eram contratados para fazer o trabalho de profissionais, enquanto eles devem atuar com observação de uma pessoa formada”, observa.