Ao todo dez menores protagonizaram cenas de barbárie em colégio em Carapicuíba, na Grande São Paulo, mas sete deles foram liberados

Três, dos dez estudantes que protagonizaram cenas de violência dentro da Escola Estadual Maria de Lourdes Teixeira, em Carapicuíba, na região metropolitana de São Paulo, serão encaminhados para a Fundação Casa. Os outros setes alunos foram liberados e entregues aos pais.

A decisão foi tomada por volta das 23 horas desta terça-feira (04), pela Vara da Infância e da Juventude, de Carapicuíba.

Os três estudantes deixaram o fórum da cidade e retornaram para delegacia de Barueri, onde ficarão apreendidos até que a Fundação Casa disponibilize vagas em suas unidades.

Os infratores ficarão recolhidos por no máximo 45 dias. Neste período, a Vara da Infância e Juventude marcará uma nova audiência para reavaliar a internação.

Mais cenas de violência

Nesta terça-feira, a Agência Record recebeu mais um vídeo que mostra a situação de caos e violência que tomou a Escola Estadual Maria de Lourdes Teixeira, em Carapicuíba.

No dia 27 de maio, foi registrada uma briga entre estudantes, durante o recreio, quando dezenas de alunos estavam no pátio.

A diretora do colégio, Clevanir Rocha Tolusso, que muitas vezes faz o papel de inspetora de alunos, já que a função está vaga por falta de profissional, tentou interceder.

 

As imagens do vídeo, feito pelo por um estudante, mostram uma grande confusão no pátio da escola, e a diretora sendo puxada por um aluno de moletom branco com listras vermelhas.

A mulher é empurrada, passa por um portão de ferro atracada ao aluno, enquanto um outro tenta livrar a diretora do agressor.

Um garoto de camisa branca consegue agarrar o colega que tentava bater na diretora e o puxa para trás. O agressor não desiste e tenta novamente agredi-la, mas é imobilizado pelo outro estudante.

As imagens mostram a diretora saindo do corredor cambaleante, e segurando, em uma das mãos, o que restou do óculos.

A agressão à diretora Clevanir Rocha Tolusso aconteceu 3 dias antes das cenas de barbárie na Escola Maria de Lourdes Teixeira, quando alunos – dentro da sala de aula – jogam cadernos, arremessam carteiras e bancos escolares, além de hostilizarem a professora, que abandonou a classe.

Nos meses de março e abril deste ano, 38 professores e funcionários enviaram um abaixo assinado e um relatório para a Diretoria Regional de Ensino de Carapicuíba e para a Secretaria Estadual de Educação.

Nos dois documentos, os docentes destacam que a falta de funcionários, como inspetores e auxiliares de limpeza, gerava um clima de deteriorização do espaço escolar.

Os funcionários relataram que, não só o desenvolvimento pedagógico estava prejudicado, mas a falta de estrutura e de pessoal, estava comprometendo a segurança dos alunos.

Nessa semana, a Secretaria Estadual de Educação lamentou os episódio de violência na Escola Maria de Lourdes Teixeira e se comprometeu a prestar toda a ajuda para restabelecer a normalidade e resgatar os valores do ambiente escolar.

A pasta informou ainda que os alunos identificados em casos de agressão e destruição do patrimônio do colégio serão transferidos para outras escolas.