#Pracegover Na foto, médico usando jaleco e segurando um estetoscópio
Foto: Reprodução

Os acadêmicos do curso de Medicina da Unisul, de Tubarão, recorreram ao Ministério Público para voltar com as aulas presenciais. Desde o ano passado as disciplinas são ministradas virtualmente por conta da pandemia de Covid-19.

Na representação protocolada pelos estudantes, são relacionadas Portarias do Ministério da Educação que permitem o retorno das aulas presenciais desde que sejam levados em consideração os protocolos de segurança para conter o contágio de Covid-19.

No documento, os estudantes citam que diversos estabelecimentos de ensino da cidade voltaram a oferecer para seus alunos a opção pelo ensino presencial, a exemplo do Colégio São José e também do Colégio Dehon que optou pelo ensino híbrido (virtual e presencial). Além de faculdades e universidades da região como FUCAP e UNESC,  que já anunciaram medidas para retorno do ensino presencial.

Na reclamação, os alunos solicitam que caso não haja o retorno das aulas, a mensalidade seja reduzida em 30%.

O reitor da universidade professor Mauri Luiz Heerdt, afirma que o documento não é do Centro Acadêmico de Medicina, com quem a Unisul tem um diálogo constante e construtivo.

O reitor disse que recebeu o documento com bastante surpresa, visto que na segunda-feira à noite se reuniu com o diretor do campus, a coordenadora do curso e todos os líderes do curso de Medicina onde foi anunciado a volta das aulas presenciais no início do 2º semestre deste ano.

“Aliás, as aulas práticas estão sendo presenciais, mas voltaremos também com as outras aulas. Este documento é fora do tempo, não respeitou a reunião que fizemos com as lideranças do curso de medicina. É totalmente desnecessário, o curso já sabe que voltaremos com as aulas presenciais”, enfatiza o reitor.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul