#Pracegover Foto: na imagem há um utensílio doméstico, arroz e um saco
#Pracegover Foto: na imagem há um utensílio doméstico, arroz e um saco

Junto com o feijão, o arroz é a base de alimentação do brasileiro. No entanto, esse alimento tão necessário nas mesas de milhares residências tem se tornado um tanto quanto faltante ou pouco convidativo nos lares do país por causa do seu preço.

Desde o ano passado, o custo do arroz, um dos principais alimentos da cesta básica do brasileiro, disparou nas prateleiras dos supermercados. O produto teve alta de quase 70% nos últimos 12 meses, de acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). O IPCA é considerado a inflação oficial no país e é medido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com o gerente geral da Copagro, Aclis Fortunato, há uma questão conjuntural no mercado de arroz. “A área de produção deste cereal no Brasil cai a cada ano. O país já produziu em 1999, 4 milhões de hectares e recentemente produz apenas 1.6 milhão. O preço desse produto tem desestimulado o seu plantio. O produtor tem cultivado outros alimentos como soja e milho”, explica.

Fortunato ressalta que o preço do produto está alto não somente no Brasil, mas em outros países. “A região de Tubarão era predominante de arroz e hoje possui 2 mil hectares de soja. Quando a atividade não tem sido compensatória, os produtores começam a migrar. Dificilmente o arroz voltará para os preços anteriores, se voltar os cultivadores deixarão de plantar. Isso é o mercado. Sempre tivemos sobre do produto no mercado brasileiro por causa do Mercosul. Porém, agora, há escassez por causa da exportação. Os nossos preços estão equiparados ao mercado mundial. Não vejo mudança. Os produtos de cultivo aumentaram mundialmente”, pondera.

O arroz é, para o homem, uma das principais fontes de carboidratos, substâncias orgânicas que fornecem energia ao organismo, além de contribuírem para a restauração e o desenvolvimento dos tecidos. O cereal é uma boa fonte de sais minerais, como o fósforo, ferro, potássio e vitaminas (tiamina, riboflavina e niacina). Além disso, o arroz não contém colesterol, é de fácil digestão e é indicado na convalescença de quase todas as doenças.

Na culinária, o arroz é muito usado em diversos pratos, como sopas, bolos, doces etc. No Japão, os grãos de arroz fermentados são empregados no preparo de uma bebida alcoólica chamada saquê. Outra conhecida forma de consumo do cereal é a brasileiríssima combinação do arroz com o feijão. Atualmente, o maior produtor e consumidor de arroz do mundo é a China.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul