Balneário Camboriú

Algas e pequenos animais marinhos conhecidos como briozoários voltaram a causar o escurecimento do mar na Praia Central de Balneário Camboriú, no Litoral Norte, na tarde desta sexta-feira (3). A secretária municipal do Meio Ambiente, Maria Heloisa Furtado Lenzi, afirmou que os organismos não fazem mal à saúde.

A cidade é um dos destinos catarinenses mais procurados pelos turistas nesta época do ano. Conforme a prefeitura, cerca de um milhão de pessoas assistiu à queima de fogos na Praia Central no réveillon.

Em 23 de dezembro, o fenômeno também apareceu na mesma praia. A alta concentração deixou a água com tom mais escuro do que o normal e chamou atenção dos banhistas.

“Temos o fenômeno desde 2004. São organismos marinhos que vão aparecendo na praia e que no verão se intensificam”, disse a secretária. O município tem um contrato com a Universidade do Vale do Itajaí (Univali) para fazer o monitoramento da água.

No verão, há mais algas e briozoários por conta do aumento da temperatura do mar. No inverno, eles aparecem menos. “Eles não são prejudiciais à saúde e não têm influência na balneabilidade”, disse a secretária.

Porém, não se recomenda o banho onde eles estão. “É desagradável porque eles se decompõem e tem um odor desagradável. Mas não são prejudiciais às pessoas”, afirmou a secretária.

Segundo ela, o fenômeno é conhecido na região e tem ganhado dimensão por causa das redes sociais. A empresa responsável pela limpeza urbana de Balneário Camboriú diariamente limpa a praia e retira os organismos. O recolhimentos deles só é possível quando chegam à areia.

De acordo com o mais recente boletim de balneabilidade do Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA), divulgado no sábado (28), a Praia Central está totalmente própria para banho.