Uma placa de homenagem foi entregue ao diretor de cinema, Luiz Fernando Machado, o roteirista Chico Caprário, o elenco e a equipe técnica do filme que conta a trajetória da Bem-Aventurada Albertina Berkenbrock. O ato ocorreu nesta terça-feira (20), na Assembleia Legislativa.

A obra foi aclamada com o prêmio internacional de melhor longa-metragem no Festival de Cinema do Detective Crime Thriller, em Los Angeles (EUA). O filme, produzido pela Boanova Filmes, foi totalmente gravado na comunidade de São Luiz, em Imaruí, e destaca a vida da beata, com a participação de mais de 3 mil moradores da região e parentes diretos de Albertina, todos amadores na dramaturgia.

A obra contou com dezenas de empresas e instituições que contribuíram direta e indiretamente na sua elaboração. Para o deputado Padre Pedro Baldissera (PT), com a homenagem a Assembleia Legislativa busca incentivar e valorizar o trabalho realizado pelo diretor e pelo roteirista, que envolveram toda a comunidade na elaboração do longa-metragem.

Luiz Fernando destacou que a premiação é resultado do comprometimento do trabalho feito em equipe. “Não se trata de apenas fazer um filme. O objetivo maior é um projeto de curso de cinema popular que acaba gerando um longa-metragem. Foi um trabalho muito sério de integração popular, com um plano de comunicação social da Companhia Boanova Filmes, envolvendo a comunidade.”

Chico Caprário enfatizou a importância do reconhecimento do filme nos festivais e pelo Parlamento catarinense. “Todo reconhecimento nos deixa satisfeito, mas para nós o principal prêmio é de sermos reconhecidos pela comunidade. Envolvemos muitas pessoas e contamos com uma pandemia nessa trajetória. Estamos muito felizes pela premiação. A cultura precisa deste espaço.”

Além da premiação recebida nos EUA, o filme concorre a outros três prêmios. Um no Canadá, sendo pelo Festival Ascendence International Film Festival, concorrendo ao prêmio de melhor filme cristão, no Festival Nazionale del Cinema e Della Televisione – Città di Benevento, na Itália, também na categoria de melhor longa-metragem, e um terceiro na cidade de Trento, na Itália.

 

Processo de canonização

Albertina Berkenbrock foi beatificada em 2007 e o seu processo de canonização continua tramitando no Vaticano. É o processo mais antigo de canonização em Santa Catarina. A beata morreu no dia 15 de junho de 1931, aos 12 anos, após resistir a uma tentativa de estupro.

Ela é chamada pelo povo da Diocese de Tubarão de “a nossa Albertina”, também conhecida como a Maria Goretti brasileira. Muitas pessoas começaram a ir ao local de sua morte e também a visitar o seu túmulo no cemitério de São Luiz, em Imaruí.

Mais tarde, o corpo foi transladado para a igreja de São Luiz, onde se encontra atualmente. As romarias continuam e um grande número de fiéis teria recebido graças pela intercessão da serva de Deus Albertina Berkenbrock.

 

Fonte: Alesc

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul