Zahyra Mattar
Tubarão

O mês das águas, como março é conhecido e até poetizado nas canções de Tom Jobim, parece ter trocado de lugar com janeiro. Como os “antigos” já profetizavam: “Entrada de verão com chuva é chuva o verão inteiro”. E parece que o mês de férias será mesmo de muita água em Santa Catarina. Os municípios do sul catarinense nem bem conseguirem colocar as coisas em ordem após a enxurrada do último fim de semana e mais chuva é prevista para cair – e novamente no fim de semana – pelo setor de clima e previsão do tempo da Epagri/Ciram.

Um boletim meteorológico emitido ontem pelo órgão explica que, até amanhã, haverá muito calor no sul do estado. Em Tubarão e região, a previsão é de que os termômetros acusem até 31° C ou mais. A mescla deste calor com uma frente fria que paira sobre a Argentina provocará pancadas de chuva intensas. “São esperados acumulados bastante significativos para todas as regiões de Santa Catarina. A diferença, desta vez, é que a água cairá em menos tempo e não em dois dias, como no fim de semana passado”, explica o meteorologista Daniel Calearo.

São previstos ainda trovoadas com rajadas fortes de vento e granizo em todas as regiões catarinenses. Entre sexta-feira e domingo, permanece a condição de chuva no estado, que pode ocorrer a qualquer momento do dia, com indicativos de ser mais intensa e com maior risco de temporal entre as tardes e noites. Essa condição de chuva ainda é consequência da influência da frente fria, no mar, e de um sistema de baixa pressão no sul do Brasil. “Fica o alerta, especialmente para os municípios que registraram problemas no outro fim de semana. Ainda há riscos de mais alagamentos e possíveis deslizamentos de terra”, avisa Calearo.

Tubarão poderá ser a 14ª cidade a decretar situação de emergência
A prefeitura de Tubarão iniciou ontem a recuperação das estradas danificadas pelas chuvas do fim de semana. Um relatório dos estragos é preparado para ser enviado à Defesa Civil Estadual. No documento, o município deverá oficializar o decreto de situação de emergência. Se isso ocorrer, Tubarão será a 14ª cidade do sul do estado nesta situação.

As outras cidades que já haviam encaminhado o pedido formal são Timbé do Sul, Araranguá, Criciúma, Forquilhinha, Jacinto Machado, Turvo, Nova Veneza, Içara, Ermo, Siderópolis, Meleiro, Lauro Müller e Morro da Fumaça, ontem. Além destas, Urussanga, Jaguaruna, Laguna, São Martinho e Praia Grande também foram afetadas pela enxurrada, mas não encaminharam o decreto à Defesa Civil.

Em Tubarão, conforme o relatório da Defesa Civil Municipal, 290 pessoas foram deslocadas de suas casas por conta de inundações e deslizamentos de terra. Outras 250 ficaram desalojadas. Apesar de ontem ter iniciado o trabalho de desobstrução da rede de drenagem nas ruas onde foram registrados alagamentos, muitas estradas ainda estão interditadas.

Um exemplo é no bairro Andrino. A rua Visconde de Barbacena ainda está debaixo d’água. Na agricultura, as perdas foram consideráveis: 30% da área agropecuária de Tubarão foi afetada pelas chuvas. Outra medida urgente é a realização de licitação para instalação de uma moto-bomba nas proximidades do terminal urbano, a fim de impedir alagamentos na região da avenida Padre Geraldo Spettmann.

Em todo o sul catarinense, o número de desalojados aumentou para 2.717 e o de desabrigados para 639. Em Araranguá, uma das cidades mais prejudicadas, cerca de 400 pessoas estão no único abrigo. Segundo a Defesa Civil Municipal, serão necessários mais dois dias para que a água escoe completamente.