Sarah Schott and Christof Sohn, do Hospital Universitário de Heidelberg Foto: Reuters
Sarah Schott and Christof Sohn, do Hospital Universitário de Heidelberg Foto: Reuters

Pesquisadores da Universidade de Heidelberg, na Alemanha, desenvolveram um exame de sangue capaz de detectar de forma precoce o câncer de mama, que é o tipo de tumor que mais mata mulheres no Brasil, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca). O teste tem uma precisão comparável à da mamografia, conforme os cientistas. A expectativa é que seja disponibilizado ainda este ano. A informação foi divulgada pelo jornal alemão Die Welt.

O diagnóstico é feito por meio da reação com certos marcadores do câncer de mama presentes no sangue. “Detectamos ‘mensageiros’ que liberam células ativas no sangue em caso de aparecimento do câncer. Nós descobrimos um total de 15 desses marcadores”, comenta o pesquisador Christof Sohn, um dos autores do estudo, em entrevista ao Die Welt.

Cientistas sempre procuraram maneiras de detectar o câncer de forma precoce, além das famosas mamografias, que podem causar o falso-positivo – quando um nódulo benigno pode ser confundido com um tumor. A descoberta recente é importante porque quanto mais cedo é feito o diagnóstico do câncer de mama, mais eficiente é o tratamento da doença.

O Ministério da Saúde recomenda que mulheres acima de 50 anos façam mamografia anualmente. Esta forma de rastreamento ajuda a detectar qualquer alteração no tecido mamário.

Em janeiro de 2018, pesquisadores publicaram na revista científica Science um estudo sobre um exame de sangue chamado Liquid Biopsy que era capaz de detectar o câncer de mama, mas com precisão de apenas 33% em mulheres afetadas pela doença. “Com nosso exame de sangue, queremos ser capazes de dizer com a maior confiabilidade possível se uma mulher tem câncer de mama. Tivemos sucesso em 75% dos casos”, diz Sohn ao jornal alemão. “A principal vantagem do nosso exame de sangue é que reage de forma muito sensível, especialmente em mulheres com menos de 50 anos, quando apresenta precisão de 86%”, completa o cientista da Universidade de Heidelberg.

Ainda conforme o especialista, o novo teste quer servir de alerta precoce para que as pacientes possam ser encaminhadas para exames posteriores. “No sangue, o câncer pode ser detectado antes mesmo de se tornar visível por meio de técnicas de imagem [mamografia]. Na ressonância magnética, você só pode ver tumores de cinco milímetros de tamanho, quando já podem existir milhões de células cancerosas. Além disso, um exame de sangue não é tão complexo quanto uma mamografia, e não há exposição à radiação”, comenta Christof Sohn.