Morador Jadilson Pereira mostra o córrego não canalizado no bairro.
Morador Jadilson Pereira mostra o córrego não canalizado no bairro.

Wagner da Silva
Braço do Norte

Os moradores do bairro Santa Augusta, em Braço do Norte, voltaram a demonstrar insatisfação com a falta de ação da prefeitura para resolver o problema de alagamentos na cidade. Um dos pontos mais críticos é da rua atrás da igreja Santa Augusta.
A estrada foi aberta para a colocação de dois tubos para canalizar o córrego que passa pelo local. Mas, com o tempo, a terra tomou conta dos dutos e cerca de 70% da vazão está obstruída.

Isto, somado às fortes chuvas, refletiu na inundação de casas e lotes. “Minha casa está comprometida. Desde 2004, convivemos com este problema. A abertura da rua e as novas construções desviaram o caminho do córrego e obstruem a passagem da água”, explica o morador Jadilson Adriano Nazario Pereira.

No verão, revela Jadilson, o problema acentua-se. “As chuvas são mais constantes e não podemos sair de casa porque estamos sempre preocupados. A prefeitura sempre promete, mas nunca cumpre”, cobra Jadilson. Ele mesmo explica qual a solução correta: a canalização de todo o córrego, e não apenas uma parte dele, como foi feito.

Sem prometer nada, o secretário de transportes e obras da prefeitura, Edésio Oenning, admite os problemas. Ele adianta que irá a Brasília na próxima semana em busca de recursos para a obra. Edésio enumera quatro problemas crônicos na cidade em relação a alagamentos. Todos têm projetos em andamento.

Os principais pontos estão nos bairros São Francisco de Assis, Floresta, Abissínia e Santa Augusta. “Dois projetos para resolver esta questão estão prontos e os outros dois em fase de conclusão. Nesta semana, estarei em Brasília, na tentativa de conseguir recursos para solucionar a questão”, informa.