Lily Farias
Tubarão

Neste este momento, a secretaria de infraestrutura da prefeitura de Tubarão não mostrou para que veio. E o próprio gestor, engenheiro Ismael Medeiros, admite que o momento é delicado. “Ainda não tivemos tempo de fazer nossa gestão, estamos apagando incêndio”, surpreende Ismael.
A secretaria passa por um processo de avaliação de bens, contratos, remodelação na prestação de serviços e da equipe recadastramento de funcionários. Após esta tarefa, o foco vai ser executar tudo que é planejado.
Segundo Ismael, se considerado o porte do município e a funcionalidade da secretaria, os equipamentos não são ideais. Seja em quantidade, seja em qualidade. Mas aos poucos a casa começa a ficar em ordem.
Neste primeiros meses, o trabalho foi de reestruturação da coordenadoria da Cosip, abertura de licitações para a compra de equipamentos e mudanças no atendimento à comunidade. Os servidores atuam em uma escala de plantão, em dois turnos, com atendimento 12 horas por dia.
Assim que toda esta reformulação acabar, o que não levará muito tempo, as ações efetivas nos pontos mais problemáticos da cidade começarão a ser executadas.
Um exemplo é a limpeza das redes de drenagem e das valas de escoamento. Algo considerado importante e urgente.
A manutenção também não é esquecida pela secretário. “Para isso, ampliaremos a rede de trabalho, alugaremos mais equipamentos e contaremos com o apoio da Fundação Municipal de Meio Ambiente. Trabalharemos em equipe”, destaca.

Um trabalho multisetorial

Organização é marca registrada do trabalho do secretário de infraestrutura, Ismael Medeiros. Para otimizar o atendimento à comunidade, ele planeja fazer um levantamento semanal para saber qual região priorizar. O trabalho é feito com equipes multisetoriais. “Muitas decisões serão tomadas em conjunto, com a participação ativa de outras secretarias afins, como Fundação de Defesa Civil e secretaria de desenvolvimento econômico”, antecipa Ismael.

Pavimentação é uma das prioridades

Tubarão tem uma quantidade grande de ruas não pavimentadas. E grande parte delas estão em situação precária. Conforme o secretário de infraestrutura da prefeitura, Ismael Medeiros, boa parte deste problema está na falta de manutenção, em especial das redes de drenagem.
A ideia de Ismael é planejar a cidade para um crescimento em um longo período. “Hoje, não há possibilidade de planejar Tubarão para daqui a dez anos sem antes resolver os problemas que já existem. Primeiro tenho que agir no pequeno”, pontua.

A prioridade é revitalizar a avenida Getúlio Vargas (beira rio da margem esquerda), no bairro Revoredo, e a rua Silvio Cargnin, em Oficinas.
“Há outras prioridades, mas nestas duas ruas o pavimento está completamente deteriorado. Não adianta mais apenas tapar buraco, é preciso refazer tudo”, explica Ismael.
Melhoras das estradas gerais também estão no topo da lista de serviços urgentes. Estas ruas são de extrema importância para o escoamento de safra e ligam o centro urbano às comunidades e outros municípios.
“Será um grande desafio porque temos poucos equipamentos e precisamos maximizar essas ações”, descreve Ismael.

Arena Multiuso, Upa 24 horas, Macrodrenagem…

Três grandes e fundamentais obras para Tubarão foram iniciadas e estão paralisadas neste momento: a macrodrenagem da margem esquerda, a Arena Multiuso e a Unidade de Prontoatendimento (Upa) 24 horas. Isso porque inúmeros problemas burocráticos e financeiros impediram o cumprimento do cronograma.

Para o secretário de infraestrutura da prefeitura, Ismael Medeiros, cada caso é tratado em separado e as decisões que forem tomadas daqui para frente iniciarão do zero.
Quanto à macrodrenagem, o contrato é revisto. Tudo indica que a Setep, a segunda colocada na licitação, assumirá a execução do projeto. “Estamos em negociações, mas há possibilidade de a empresa não aceitar. Se isso ocorrer, faremos nova concorrência pública”, antecipa.

A situação da Arena Multiuso e da Upa 24 horas é a mesma. Até dezembro do ano passado a prefeitura não prestou conta ao estado e, por isso, não tem as chamadas Certidões de Negativa de Débitos (CND). Para poder realizar novos convênios, o executivo precisa estar comprovar a quitação de impostos e fundos federais e estaduais, como FGTS, INSS, além da inexistência de débitos com estatais.
E é exatamente isso que a prefeitura não tem. “Até solucionar esta questão, nada pode ser feito. A saída para retomar as obras imediatamente é a prefeitura aplicar recursos próprios, mas é público que não temos condições de fazer isso agora”, lamenta o secretário.

Ismael Medeiros, 32 anos

Cargo atual: secretário de infraestrutura da prefeitura de Tubarão.
Equipe: À pasta estão subordinadas as gerências de serviços públicos e de obras, a coordenação de frota e logística, e o departamento que administra os recursos da Cosip. A secretaria tem por responsabilidade a promoção e a supervisão das atividades de construção, edificações e manutenção de obras públicas, manter e conservar as ruas, as edificações, as instalações e a frota de veículos leves e pesados, além de gerir os serviços de iluminação pública e as suas taxas.
Currículo: Servidor municipal há dois anos, é engenheiro civil, graduado pela Unisul em 2006. É especialista em infraestrutura e gerência viária pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e docente nos cursos de engenharia civil e de arquitetura e urbanismo da do campus da Unisul em Tubarão. Pesquisador do Núcleo de Pesquisas em Desastres Naturais (NuPed), atualmente também compõe o colegiado da inspetoria regional do Conselho e Engenharia e Agronomia (Crea/SC) em Tubarão.