Amanda Menger
Tubarão

Depois de 18 horas de trabalho, a sensação de alívio. As equipes do Águas de Tubarão e da Agência Reguladora das Águas de Tubarão (AGR) precisaram suar a camisa para trocar os canos que romperam em uma adutora de captação na manhã de sexta-feira, próximo à Estação de Recalque de Água Bruta, no bairro Fábio Silva.
O vazamento foi observado às 10 horas, pelos funcionários de uma oficina mecânica que fica em frente à Estação de Recalque. “Eles ficaram impressionados com o volume de água que ‘brotou’ do asfalto a ponto de formar uma espécie de bolha. A princípio, achávamos que era uma rede de 400 milímetros, depois vimos que era de 350 milímetros de ferro fundido. São duas redes lá e, para resolver o problema, não dava para fechar uma delas. Como esta estação puxa a água bruta do Rio Tubarão, nós tivemos que parar a Estação de Tratamento de Água (ETA)”, explica o superintendente técnico da AGR, Marcelo Matos.

Como a reserva técnica de água é de três horas, por volta das 14 horas de sexta só tinha 5% de água em dois reservatórios da ETA para atendimento de clínicas e hospitais. Os demais estavam zerados. A troca dos canos contou com a ajuda da Tractebel Energia e da Casan de Imbituba. “É que precisamos utilizar mais de quatro metros de canos de ferro fundido em um diâmetro que não é o usual. O que tínhamos no depósito estava ‘ovalado’ e não encaixava. A ajuda foi fundamental”, afirma o superintendente técnico.
Por volta das 23 horas de sexta-feira, as bombas que puxam a água do rio começaram a ser religadas. O trabalho foi finalizado às 4 horas, com o fechamento da vala.

Municipalização é referência

Há praticamente quatro anos, os serviços de água em Tubarão foram municipalizados pela prefeitura. A Casan ficou responsável pelos trabalhos durante 30 anos, e o contrato não renovado. Exatamente esta experiência de Tubarão foi o objetivo de uma visita, na última semana, do prefeito de Canoinhas, Leoberto Weinert (PMDB), do vice-prefeito Beto Faria (PMDB) e do secretário de administração da prefeitura, Argos José Burgart, à Agência Reguladora das Águas de Tubarão (AGR).

“Eles vieram conhecer o nosso trabalho. Saber o processo utilizado para a municipalização, o que mudamos quando assumimos e também o Plano Municipal de Águas e Saneamento (Pmae). Esta visita demonstra que estamos no caminho certo, porque já somos considerados referência no tema”, avalia o superintendente técnico da AGR, Marcelo Matos.