Foto: Julio Cavalheiro | Governo de Santa Catarina

Com US$ 10,29 bilhões em exportações e US$ 24,92 bilhões em importações, Santa Catarina registrou crescimento e atingiu os maiores valores da série histórica nos dois tipos de operação do comércio internacional.

Em relação a 2020, as exportações aumentaram 26,6% e as importações subiram 54,9%. Os dados são do Ministério da Economia e foram divulgados nesta terça-feira (18).

Secretário de estado do desenvolvimento econômico sustentável, Luciano Buligon atribui o crescimento à capacidade de superação do setor produtivo catarinense. “Muito desse resultado se deve ao grande desempenho do agronegócio, mas também pelos demais segmentos econômicos que, mesmo em no ano difícil de 2021, encontraram o caminho para manter o emprego e fortalecer a economia”, valoriza.

O agronegócio ocupou os três primeiros lugares nos principais produtos exportados por Santa Catarina. A venda de carne de aves liderou as exportações catarinenses (US$ 1,59 bilhão, principalmente para Ásia e Oriente Médio), seguida de suínos (US$ 1,32 bilhão, a maior parte para a China) e soja (US$ 669,9 milhões, principalmente para a China).

Na sequência, aparecem os motores e geradores (US$ 483,6 milhões, com destaque para Estados Unidos e Alemanha) e partes de motores a combustão (US$ 425,2 milhões, a maior parte para Estados Unidos, México e Reino Unido).

Após o agronegócio, a indústria de transformação foi o destaque da economia catarinense no mercado internacional – Foto: Ricardo Wolffenbuttel | Governo de Santa Catarina

Com um crescimento de quase 44%, os Estados Unidos voltaram a ser o principal destino das exportações catarinenses, superando a China. O mercado também sofreu expansão: Santa Catarina exportou para 208 países em 2021, dos quais 25 importaram ao menos US$ 100 milhões em mercadorias catarinenses.

“Mais uma vez, o agronegócio catarinense supera as dificuldades e se mostra a grande força da economia catarinense. Mais do que responder por boa parte da pauta de exportações catarinenses, nos coloca dentro dos mercados mais exigentes e competitivos do mundo”, destaca o secretário de estado da agricultura, da pesca e do desenvolvimento rural, Altair Silva.

 

Mercado interno
O rol de produtos importados por Santa Catarina é bastante diversificado. Em 2021 as matérias primas e insumos para a indústria ocuparam a liderança, com destaque para cobre (US$ 1,37 bilhão, a maior parte do Chile), folhas e chapas de ferro ou aço (US$ 657,7 milhões, principalmente da China), polietileno (US$ 571,7 milhões, sobretudo dos Estados Unidos e da Argentina) e fertilizantes (US$ 567,9 milhões, a maior parte de Omã).

A China permanece como principal mercado fornecedor para o Estado, com US$ 9,36 bilhões, um aumento de 54,4% em relação a 2019. Contudo, outros países tiveram crescimento ainda mais acentuado nas exportações que tiveram Santa Catarina como destino. O Chile, segundo colocado na lista, cresceu 68% e forneceu US$ 2 bilhões em mercadorias para o Estado. Foi a primeira vez que um outro país além da China ultrapassou essa marca.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul