Zahyra Mattar

Tubarão

 

 

 

Zahyra Mattar
Tubarão

 

É bem isso que você leu aí em cima. Isto porque desde o dia 1º deste mês está em vigor a Lei da Política Nacional de Resíduos Sólidos, cuja formulação demorou nada menos do que 21 anos. A regra nacional obriga que todo cidadão separe adequadamente o seu lixinho doméstico.

A regulamentação impõe multa de R$ 50,00 a R$ 500,00 a quem não separar o lixo. Prevê também obrigação às prefeituras de coletarem separadamente o lixo orgânico do reciclável.

Em Tubarão, a lei não será um grande problema. Isto porque a cidade já dispõe da coleta seletiva desde 2004. O município tem muito o que avançar, claro, mas está à frente de muitos outros vizinhos.

Atualmente, cerca de 90% dos bairros integram o serviço de coleta seletiva. Por mês, são recolhidas aproximadamente 60 toneladas de lixo reciclável. O equivalente a uma economia de R$ 5,4 mil aos cofres públicos.

Ainda assim, é pouco. Juntos, os 97.281 tubaronenses produzem uma média de duas mil toneladas de lixo por mês. Para recolher tudo isso, o gasto é de R$ 180 mil. De todo esse lixo, apenas 3% é reciclado.

No próximo mês, o serviço será ainda mais intensificado tanto em virtude da lei quanto pela meta fixada pela prefeitura: chegar a 100% de cobertura da coleta seletiva.

"Aos poucos, chegaremos lá. Já somos exemplos porque conseguimos implantar a coleta seletiva em quase toda a cidade. Ainda seremos exemplos por alcançar um percentual mais relevante de participação. Educação ambiental é como reciclagem: tem que persistir!", valoriza a diretora do departamento de meio ambiente da prefeitura, Luciana Nogueira.

Horários diferenciados
Devido à movimentação nas praias em virtude da temporada de verão, a empresa responsável pela coleta de lixo em Laguna, a Fernandes Engenharia, elaborou um novo calendário. Na praia do Mar Grosso e no centro histórico, o recolhimento será realizado todos os dias. No Farol de Santa Marta, praia do Sol, Itapirubá e Cabeçuda, a coleta será todas às segundas, quartas e sexta-feiras. Mais informações: (48) 3644-1966.

 

Como separar o seu lixo

Você não precisa gastar um dinheirão na compra daquelas lixeiras específicas. Basta ter dois lixos na cozinha: um menor para o material não reciclável e outro maior para o reaproveitável. Não é necessário separar cada categoria. Você pode colocar tudo junto no mesmo local. Assim fica mais fácil, dá menos trabalho e você ajuda o meio ambiente. Veja o que pode e o que não pode ser reciclado.

O que entra na coleta seletiva
• Metal: latas de alimentos e bebidas, tampinhas, embalagens metálicas de congelados, canos, fios, objetos de cobre, alumínio, bronze, ferro, chumbo, zinco e por aí vai.
• Vidro: garrafas, potes, jarros, vidros de conserva, vidros de produtos de limpeza e qualquer frasco feito deste material.
• Plástico: garrafas pet (como as de refrigerante), tubos, canos, potes de creme, frascos de xampu, baldes, bacias, brinquedos, saquinhos de leite e isopor, entre outros exemplos.
• Papel: listas telefônicas, folhetos, revistas, folhas de rascunho, cadernos, papéis de embrulho, caixas de papelão, caixas de leite.

O que não entra na coleta seletiva
Embalagens de aerosóis, esponjas de aço, latas de material misto, cristais, lâmpadas florescentes, espelhos, vidro de janela e de automóveis, cerâmicas, tubos de televisor, monitor de computador, disquetes e CDs, porcelanas, tomadas, cabos de panela, embalagens laminadas de alimentos (como pacote de salgadinhos e radiografias), papel plastificado, carbono, guardanapos, lenço de papel, celofane, papel vegetal, adesivos (como fitas e etiquetas), fotografias, papel higiênico, pregos, tachinhas, grampos, pilhas, baterias e clipes.

Tá, mas e o lixo orgânico?
Boa pergunta: os restos de alimentos podem ser misturados com o lixo que não vai para a reciclagem. O mais indicado é deixar em um saquinho separado, mas você decide. Não precisa comprar uma terceira lixeira para isso. Quem possui área verde em casa, pode optar por fazer uma composteira para transformar o restinho de comida em adubo orgânico para a horta e jardim.

Óleo de fritura
O danado é altamente poluente. Faça assim: separe o óleo em um recipiente plástico ou de vidro. Pode ser uma garrafa de refrigerante, porque fica bem tampada. Quando encher, coloque a garrafa junto com o lixo reciclável. Quando o caminhão especial passar, os profissionais já separam o produtos. O material é vendido para a Ossotuba (vira tudo ração). O dinheiro arrecadado é depositado diretamente na conta do Lar da Menina, de Tubarão.

Lixo tóxico
São considerados desta categoria de lixo os monitores e teclados de computadores, brinquedos e aparelhos eletrônicos (como um telefone, por exemplo), lâmpadas fluorescentes, baterias de automóveis e celulares, pilhas e embalagens de agrotóxicos. Este tipo de material não pode ser colocado junto a nenhum outro lixo. Deve ser devolvido ao fabricante através dos seus revendedores.