Tubarão

O Projeto Verde é Vida, programa permanente de educação socioambiental e rural mantido pela Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra), definiu esta semana o seu plano de ações para 2019. Os trabalhos a serem realizados terão como tema central Juventude: uma ação social, com o objetivo de discutir com os jovens o papel dele na família e na comunidade, tendo a escola como referência.

Segundo o coordenador pedagógico, professor José Leon Macedo Fernandes, o Projeto Verde é Vida está em constante transformação e inovação. Além de manter as bases de trabalho rotineiras – distribuição de mudas, palestras, Bolsa de Sementes, Ação Conjunta, Pesquisa Científica e outras – procura trazer ações, assuntos e temas pertinentes às necessidades das comunidades. “Para este trabalho dar certo, a parceria com os municípios é fundamental. A equipe do Verde é Vida, tanto da matriz como das filiais, faz a sua parte de apoio. Contudo, são os alunos, professores, pais e comunidade escolar e em geral que conhecem a sua realidade e adaptam para si as sugestões do Verde é Vida”, enfatiza Leon.

Ação Conjunta 2019 – O Dia da Ação Conjunta usará o tema central do Projeto Verde é Vida. A data escolhida é 12 de agosto, dia internacional da juventude, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU). “Cada escola é livre para desenvolver ações sobre o tema durante todo o ano, com a culminância nesse dia, com ações voltadas à juventude”, explica José Leon, lembrando que a Ação Conjunta é realizada desde 2007, sempre com grande adesão das escolas parceiras.

Pesquisa Científica – Em 2019 se comemora os 10 anos de pesquisa científica. Com resultados positivos, com base na evolução do trabalho dos alunos, as ações continuarão nos mesmos moldes: alunos e professores desenvolvem suas pesquisas, dentro das normas, tendo por tema um assunto de relevância para a escola, família ou comunidade. A etapa escolar ocorre em datas a serem estabelecidas por cada escola. A 1ª fase da Etapa Regional será realizada de 5 a 8 de julho, e, a 2ª Fase, durante a reunião pedagógica de setembro, nas 13 Regiões de Atuação do Projeto. “A etapa escolar é muito importante, pois, além de selecionar os trabalhos para a etapa regional, prepara os alunos e divulga os trabalhos para a comunidade local”, enfatiza o professor. Os dez anos da Pesquisa Científica também serão pauta de uma avaliação junto com os professores parceiros, e uma projeção para os próximos anos.