Amanda Menger
Jaguaruna

A comissão de licitações da secretaria de infra-estrutura do estado negou o recurso da empresa Engetom Construção Civil Ltda, de Turvo. A decisão foi tomada ontem e será publicada no Diário Oficial de Santa Catarina nos próximos dias. Com o parecer, a empresa continua impossibilitada de participar da licitação da segunda etapa do Aeroporto Regional Sul, Humberto Ghizzo Bortoluzzi, em Jaguaruna.

“A empresa pediu um recurso administrativo e foi negado pela comissão. O parecer segue para o secretário Romualdo França, que marcará a data para abrir o envelope com a proposta financeira da única habilitada, a Construtora Espaço Aberto Ltda, de Florianópolis. Acredito que isso deve ocorrer ainda esta semana”, revela o diretor-geral da secretaria de infra-estrutura, Roberto Alexandre Zattar.

A construtora de Turvo foi considerada inabilitada por não cumprir um dos itens do edital, que trata da placa compensada resinada. A segunda etapa está orçada em R$ 6 milhões e compreende a construção do terminal de passageiros e núcleo de proteção ao vôo; subestação, abastecimento de água e tratamento de esgoto. O terminal de cargas não faz parte desta fase.

Ainda esta semana, deve ser apreciado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do senado o projeto de lei que inclui o acesso do aeroporto pela BR-101, no Plano Nacional de Viação. É a última análise necessária antes da sanção presidencial. Com a federalização do trecho rodoviário, o Departamento Nacional de Infra-Estrutura em Transportes (Dnit) poderá licitar a obra, que já tem recursos garantidos (R$ 15 milhões), por emenda da senadora Ideli Salvatti.