Adriane Galisteu e o Teatro Espaço dos Satyros I, de São Paulo, estão sendo processados pelo Conselho Regional de Enfermagem do Rio de Janeiro, segundo a coluna de Mônica Bergamo na Folha de S. Paulo. No ano passado, a apresentadora interpretou por um dia uma mulher que se veste de enfermeira para atender a uma fantasia erótica.

O processo diz que a situação incentiva o fetichismo. O sindicato das enfermeiras, aliás, está sempre de olho neste tipo de situação. Personagens como a ‘enfermeira do funk’ e Alzira, da novela Duas Caras, que fingia ser enfermeira para o marido quando, na verdade, saía para dançar pole dance, foram impedidas de continuar como enfermeiras na ficção.