Servidores estão em campanha salarial -  Foto:Divulgação/Notisul
Servidores estão em campanha salarial - Foto:Divulgação/Notisul

Kalil de Oliveira
Tubarão

É superior a 90% na região a adesão dos trabalhadores das Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc), segundo lideranças da categoria. No Sindicato dos Trabalhadores da Indústria de Energia Elétrica do Sul de Santa Catarina, com sede em Capivari de Baixo, o diretor Amarildo Machado Correa conta que um grupo passou o dia ontem em frente à unidade da empresa no bairro Vila Esperança, em Tubarão.

"Não somos intransigentes. Estamos dispostos à negociação. Há dois meses conversamos com a Celesc e a data da greve estava marcada antecipadamente. Agora, o Ministério Público vai fazer uma mediação em Florianópolis", justifica Amarildo, referindo-se à reunião prevista para hoje, às 14 horas, entre a direção da Celesc e os trabalhadores.

A última proposta da empresa, segundo o sindicalista, foi de 4,28%, que seria abaixo da inflação. O grupo pede o índice de 8,73% e as perdas de 2,61%, que são os reajustes abaixo da inflação de anos anteriores.

Amarildo argumenta que os balancetes anuais da Celesc não justificam um reajuste menor que a inflação. Ela arrecada 14% do que é cobrado na conta de energia elétrica.  "Se houve aumento nas perdas, como os casos de furtos de energia, é mais por falta de gerenciamento e não dos trabalhadores. Estão fazendo muito em muito menos pessoas", critica.

Bancários retomam as negociações
Após 12 dias da última reunião, a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) retomou as negociações com os bancários ontem. O encontro que durou sete horas não teve conclusão. Uma nova reunião acontece hoje, a partir das 15 horas, em São Paulo.