Foto: Reprodução

Os 4 acusados de matar o servente de pedreiro Ronaldo João Saraiva (41 anos), de Sangão, serão julgados nesta terça-feira (9/11), a partir das 9h. A sessão está programada para acontecer na terça e quarta-feira e será presidida pelo juiz Rodrigo Barreto, titular da 2ª Vara da comarca de Jaguaruna.

O crime aconteceu em agosto de 2017, na antiga estrada de acesso ao Balneário Campo Bom, em Jaguaruna. Estão envolvidos no caso a filha da ex-companheira de Ronaldo e 3 homens, todos amigos da vítima. De acordo com a polícia, a mulher contratou os 3 homens para matar Ronaldo visando a obtenção do valor de seguro de vida em favor de seu filho. O dinheiro seria dividido entre os 4.

Ronaldo estava em Sangão no dia do crime e foi convencido por um dos acusados a ir de carro até Jaguaruna. No local do crime ele foi surpreendido pelos dois outros acusados e atingido por inúmeros golpes de pá na cabeça, que causaram sua morte por traumatismo craniano. Em seguida, os denunciados fugiram do local no veículo de Ronaldo, que depois foi abandonado na cidade de Lauro Müller.

Os quatro réus serão julgados, perante o Conselho de Sentença, por homicídio triplamente qualificado por promessa de recompensa e motivo torpe, meio cruel e recurso que dificultou a defesa da vítima

O caso ganhou repercussão pelo fato Ronaldo ter sido encontrado por moradores do balneário Campo Bom sem os olhos e a língua. A vítima não tinha passagens pela polícia, era viúvo e não tinha filhos.