A pandemia do novo coronavírus ainda não acabou. Os severos impactos na economia mundial e na rotina de milhares de pessoas serão sentidos por muito tempo. Apesar das mudanças e incertezas, o empresariado brasileiro não se deixou abater e aprendeu a inovar. Assim, diferente do que muitos imaginam, há forte otimismo para 2021.

De acordo com o presidente da Associação Empresarial do Vale de Braço do Norte (Acivale), Evaldo Niehues Junior, existem três principais desafios para este ano: geração de empregos, oferta de crédito para os empresários e consolidação fiscal no que diz respeito às reformas (a nível nacional).

“Acreditamos que 2021 será um ano de crescimento da economia como um todo. Existe um consenso no mercado mostrando perspectiva de crescimento do PIB Brasileiro em torno de 3%. O Estado de SC deve ter um crescimento acima dessa média, pois tem uma cultura empreendedora e uma indústria muito bem diversificada, exportadora, e que produz bens com valor agregado”, comenta.

Em pesquisa realizada pela Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC) em dezembro 2020, a confiança industrial catarinense atingiu 67 pontos, de um total de 100. “Isso mostra que o empresário está com boa expectativa para o ano de 2021”, aponta Niehues.

O presidente da associação empresarial ainda analisa o cenário em relação ao credito. “Considerando uma SELIC no menor nível da história, bem como reflexo da pandemia na economia, a demanda por recursos deve aumentar. Cabe às instituições financeiras o papel de liberar esse credito. Segundo a FEBRABAN espera-se um avanço de até 7% na concessão de credito em relação ao ano passado.”

O empresário avalia que o setor aguarda medidas para fortalecer o processo de consolidação fiscal por parte do governo. “Reformas administrativas e tributarias a nível nacional são extremamente necessárias para equilibrar os gastos públicos e respeitar o teto, favorecendo ainda mais a retomada econômica esperada para 2021”, conclui o presidente da Acivale.

 

Acivale

Com a missão de representar e integrar a classe empresarial, através do associativismo, a Associação Empresarial do Vale de Braço do Norte (Acivale) se consolida como uma das mais significativas associações de classe da região. Há mais de dois anos, a entidade comemora seu crescimento significativo ao ultrapassar a marca de 400 associados envolvendo empresários das cidades de Braço do Norte, Grão-Pará e São Ludgero. Além de atuar em defesa da classe empresarial, a entidade promove diversas ações colaborativas como missões empresariais, cursos, capacitações, entre os projetos sociais e de desenvolvimento regional como o DEL (Programa de Desenvolvimento Econômico Local).

 

Novos caminhos em meio à pandemia

Em meio à pandemia, a entidade atuou junto aos governantes, representantes políticos, iniciativa privada, instituições e sociedade civil organizada do Estado para buscar o equilíbrio entre a preservação da saúde e os impactos sociais e econômicos. Inúmeros documentos foram encaminhados pela Acivale, juntamente a outras entidades do segmento produtivo, para mitigar os efeitos da crise. O presidente Evaldo Niehues Junior e sua diretoria assumiram a responsabilidade de proporcionar suporte e buscar alternativas que amenizassem os impactos na economia local. Nestas primeiras semanas de 2021, a associação iniciou os planejamentos para retomar as atividades de fomento ao desenvolvimento econômico na região.

 

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul