#Pracegover Foto: na imagem há bolo, banana, forma, faca e toalha
#Pracegover Foto: na imagem há bolo, banana, forma, faca e toalha

Na contramão de outras casas de repouso da região, do Estado e também do país, o Abrigo dos Velhinhos de Tubarão, passou a negar doações de alimentos. A informação é do Grupo Corrente do Bem, que há mais de cinco anos realiza benfeitorias para os internos da instituição.

A cada 15 dias, aos sábados, os integrantes do grupo formado por advogados, representantes do Ministério Público, assessor de juiz, gerente do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e comerciante levam alimentos como bolos e frutas para os idosos. Além dos mantimentos, a equipe sempre entregou para os internos muito amor, carinho, uma palavra amiga e alimentou por muitas e muitas vezes as almas dos moradores.

Em tempos de pandemia há todo um cuidado com a saúde da população, em especial dos idosos, que são mais suscetíveis as doenças. Até a primeira quinzena de janeiro os alimentos eram aceitos pela instituição, que respeitou o cronograma enviado no começo do ano passado. Nos últimos dias um novo cronograma foi enviado pelos representantes da Corrente do Bem para a direção do Abrigo, que negou a colaboração alegando os efeitos da pandemia.

A produção dos bolos e pães são feitas na padaria de um supermercado. Quanto às frutas doadas pelo grupo são adquiridas em supermercados, mercados e comércio de frutas e verduras, e geralmente um entregador leva os produtos para a unidade que fica no bairro São João Margem Esquerda, já que desde março do ano passado as visitas à instituição estão restritas devido à Covid-19.

O que causa espanto, no entanto, é que se os bolos e pães não podem ser utilizados, qual será a forma que os internos da instituição podem se alimentar? Os alimentos devem ser produzidos na unidade? Não há a possibilidade dos insumos chegarem de fora? As frutas que geralmente são adquiridas em supermercados, mercados e estabelecimentos comerciais passarão agora a ser plantadas e colhidas no quintal da instituição? Há informações que os internos gostam e ingerem muito bananas, se não há um pé de bananeira com fruto no local e levando em consideração que da origem ao fruto o tempo estimado é de 24 meses, os idosos devem esperar dois anos para comerem uma única banana?

Além de ajudar na aquisição e produção dos mantimentos, o grupo auxiliava os idosos nas refeições. Alguns velhinhos tinham dificuldades em levar o alimento e o líquido na boca. O intuito da ação nunca foi de obter a presidência do Abrigo, mas o do cuidado e amor com o próximo.

Esta é a segunda colaboração em menos de um ano que é dispensada pela direção do Abrigo. Em julho o repasse mensal de R$6,5 mil da prefeitura de Tubarão, foi cancelado a pedido da presidência. Na ocasião, a Fundação Municipal de Desenvolvimento Social recebeu uma carta de renúncia do montante por meio do advogado da instituição, o que causou estranhamento.

As colaborações da prefeitura e do Grupo Corrente do Bem foram dispensadas, porém os cartões de pagamentos de boa parte dos idosos seguem em poder da direção da casa. Além disso, as doações em dinheiro realizadas pela população de diversas maneiras continuam. Estas são sempre muito bem vindas, pois não há questionamentos com a aplicação dos valores.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul