O final de semana trouxe uma reflexão sobre a Praça do Otto e a emenda que não veio. Moradores do entorno de onde já esteve instalado o ginásio Otto Feuerschuette fizeram uma manifestação neste sábado. Protestaram contra a proposta da prefeitura de vender ou permutar a área. A Câmara de Vereadores pode apreciar o projeto de lei que autoriza a transação nesta segunda-feira (2).

Pode aparecer em regime urgência logo depois da deliberação da Ordem do Dia.

O ginásio foi devastado por um vendaval em 2009, como bem lembrou o jornalista Eduardo Ventura. Desde então, vários foram os projetos tratando de sua reconstrução ou mesmo da transformação do espaço em uma praça.

Em 2014, o deputado federal Edinho Bez chegou a se  comprometer publicamente com uma emenda parlamentar de R$ 800 mil que garantiria a execução da obra. O local teria, em suma, quadras poliesportiva, de tênis e vôlei, cancha de bocha, duas academias de ginástica e dois parques infantis.

Posteriormente, Edinho Bez não foi reeleito, em 2014. A Praça do Otto ficou como está e a emenda não veio. Apesar disso, o compromisso era para a cota que o parlamentar tinha ainda em seu mandato, que se encerrou apenas em janeiro de 2015.

Venda ou permuta

Em entrevista coletiva na semana passada, o prefeito Joares Ponticelli confirmou a intenção de vender ou permutar o terreno. Pretende fazer com que ele seja revertido em uma área industrial.

Uma possibilidade seria, portanto, a troca por um terreno mais adequado a essa demanda. Ou mesmo a venda à iniciativa privada e a compra de outro espaço.

A construção da Arena Multiuso Prefeito Estener Soratto da Silva em um local muito próximo reforçou definitivamente o argumento de deixar de destinar o espaço ao esporte e ao lazer.

Mas é preciso, acima de tudo, pensar o desenvolvimento de uma área que mescla uma região nobre como a Vila Moema e um bairro carente como a Passagem, lado a lado. E que está passando por profundas transformações recentes, como a construção da Arena e até mesmo do Farol Shopping, há 15 anos.

Além disso, a inauguração da ponte Prefeito Paulo Osny May trará mudanças significativas na mobilidade urbana. Bem como a ligação entre Tubarão e Capivari de Baixo, já tema de convênio com o governo do Estado.

É um assunto complexo, que não merece ser discutido a toque de caixa, em regime de urgência. É preciso debater o que a cidade quer para aquele espaço privilegiado.

 

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul

Fonte: Matheus Madeira