A água fornecida pela da Tubarão Saneamento chega às casas da população com a potabilidade adequada para o consumo humano, após um rigoroso processo de tratamento e de várias etapas de análise de qualidade. Contudo, ao sair da rede de distribuição, percorrer as tubulações internas dos imóveis e ser depositada nas caixas d’água, essa propriedade pode ser comprometida e ainda oferecer sérios riscos à saúde dos moradores caso o reservatório não esteja devidamente limpo.

“Muitas vezes, as caixas d’água são esquecidas nas lajes dos imóveis. Mas, elas precisam ser higienizadas periodicamente, caso contrário, as sujeiras, fungos, bactérias, protozoários e até algas ali presentes podem provocar doenças. As pessoas costumam se lembrar de seus reservatórios quando a água acaba. Limpá-los a cada seis meses é uma medida necessária para que a água mantenha as condições adequadas para o consumo”, alerta Wagner Souza, diretor da Tubarão Saneamento.

A lista de doenças que podem ser provocadas pela falta de limpeza das caixas d´água serve de alerta para quem não está acostumado com a sua higienização. Dentre as enfermidades estão a esquistossomose, hepatite A, diarreias, amebíase e febre tifoide, mas a lista não para por aí. Também é preciso assegurar que os reservatórios estejam muito bem tampados para impedir que ratos, baratas, pombos, morcegos e outros bichos entrem em contato com a água, transmitindo doenças graves como toxoplasmose e leptospirose. Especialmente no verão, é importante vedar adequadamente as caixas d’água para que ela não sirva de criadouro para os mosquitos transmissores da dengue, zika, chikungunya e febre amarela.

Com o tempo, além de bactérias e outros microrganismos patogênicos, a própria caixa d’água pode liberar pequenos resíduos que acabam interferindo na qualidade da água e contaminando-a. Isso sem falar que a falta de limpeza também pode acarretar entupimentos nos encanamentos. A periodicidade mínima recomendada pela Anvisa para a higienização dos reservatórios de água é a cada seis meses. Caso ela seja feita de maneira inadequada, pode provocar efeito contrário e contaminar a água, além de gerar um desperdício desnecessário. Para evitar esse problema, a Tubarão Saneamento preparou algumas dicas de como fazer a higienização de forma efetiva e segura:

1 – Feche o registro de entrada de água no reservatório e, quando sobrar um palmo de água, feche a saída de água e use um pano úmido para limpar as paredes, a tampa e o fundo da caixa d’água.

2 – Debloqueie a saída e deixe escorrer toda a água da lavagem e remova todos os resíduos que restarem.

3 – Bloqueie novamente a saída de água e abra o registro. Deixe encher até a altura de um palmo e, em seguida, feche a entrada de água e adicione água sanitária.

4 – Lave novamente as paredes e o fundo e deixe a água sanitária agir por duas horas. A cada 30 minutos verifique se as paredes internas da caixa secaram; caso isso ocorra, repita o processo.

5 – Após duas horas, abra as torneiras da casa, descartando a água da lavagem e deixando que ela escorra e desinfete as tubulações também.

6 – Após finalizar, não esqueça de fechá-la muito bem para que não tenha contaminação por sujeira ou contato com animais e insetos.

 

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul