Tubarão
 
Uma pesquisa realizada para a dissertação do programa de mestrado em ciências da saúde da Unisul observou que a prevalência da depressão em indivíduos soropositivos é de 53%. 
 
O trabalho foi realizado em Tubarão pelo psiquiatra e professor do curso de medicina Márcio José Dal-Bó. Segundo ele, o índice é alto e preocupa principalmente pela ausência de acompanhamento psiquiátrico. 
 
Nenhum dos pacientes diagnosticados com depressão afirmou fazer tratamento psicoterapêutico. As entrevistas foram realizadas com 203 pessoas que participam do programa DST-Aids da secretaria de saúde da prefeitura, entre os meses de maio e julho do ano passado. 
 
Márcio José Dal-Bó defendeu, segunda-feira, a mudança de abordagem no atendimento desses pacientes, para que o diagnóstico e o tratamento da depressão sejam precoces. Isso porque, segundo o pesquisador, o quadro depressivo pode piorar o tratamento clínico dos portadores de HIV. 
 
Para Dal-Bó, o fato está relacionado, muitas vezes, à má informação dos médicos, que acreditam que o tratamento contra a depressão pode prejudicar o tratamento clínico. Ele defendeu ainda uma política de saúde que inclua o psiquiatra nos programas de DST/Aids.