Laguna

A equipe de monitoramento da Udesc registrou um caso atípico no sábado. Uma carcaça de uma toninha (Pontoporia blainvillei) com mutilação severa feita por objeto perfurocortante. A carcaça foi encaminhada à Unidade de Estabilização de Fauna marinha, onde foi realizada necropsia e análises complementares.

Técnicos e veterinários chegaram à conclusão de que o animal foi vítima de uma mutilação intencional, considerando o local e a forma das incisões. Casos anteriores já registrados pelo PMP-BS/Udesc apresentaram mutilações no pedúnculo caudal e nadadeiras, coincidindo com as regiões propícias ao emalhe. Práticas como esta são descritas em vários lugares do mundo como metodologia de descarte e ocultação de carcaças de animais capturados acidentalmente ou ilegalmente.

Esta é o terceiro caso de 2019, dado que contribui à triste estatística de mortalidade que as toninhas estão atravessando no Sul do Brasil.

Desde 2015 o PMP-BS/ Udesc registrou 132 toninhas nas atividades de rotina. Estes tímidos cetáceos estão considerados como ameaçados de extinção, principalmente pela interação negativa com a pesca e com os resíduos jogados no mar.

O Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) é uma atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural no Polo Pré-Sal da Bacia de Santos, conduzido pelo Ibama. Esse projeto tem como objetivo avaliar os possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, através do monitoramento das praias e do atendimento veterinário aos animais vivos e necropsia dos animais encontrados mortos.

Caso encontre algum animal marinho vivo ou morto, entre em contato conosco pelo telefone 0800-6423341. Sua ajuda é fundamental para salvar vidas!