As autoridades de Saúde de Tubarão apresentam-se preocupadas por conta da movimentação das pessoas nas ruas da cidade no primeiro dia de reabertura do comércio, conforme estabelecido pelo Governo Estadual, em decreto. O diretor-presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Daisson Trevisol, externa no boletim informativo desta segunda-feira (13) sobre a pandemia da Covid-19 esta situação, e faz outros alertas.

Em termos de números, Tubarão registra, até o momento, 897 casos notificados para a Vigilância Epidemiológica, com 143 exames coletados e encaminhados ao Laboratório Central de Santa Catarina, órgão que realiza a contabilização oficial do cenário da doença no estado. No município, 39 casos são confirmados para covid-19, – 29 pelo Lacen e 10 por testes rápidos realizados por laboratórios privados. Os casos descartados pelo Lacen, por exames negativos, somam 101, e 699 pacientes deixaram de ser acompanhados pelo COEMS por desparecimento dos sintomas.

Nos hospitais existem 15 pacientes internados – quatro em UTIs – todos casos confirmados – dois de Braço do Norte, um de Tubarão e um de Pescaria Brava. Em enfermarias são 11 os pacientes internados – 10 na adulta – três confirmados de Tubarão – e sete no aguardo dos exames – três de Tubarão, três de Capivari de Baixo e um de Balneário Gaivota. Ainda na enfermaria, mas na pediátrica, um paciente, de Criciúma, também espera o resultado do exame.

Sobre os casos suspeitos e que aguardam o resultado dos exames existem 14 pacientes, com 196 em monitoramento pelo Centro de Operações de Emergências Municipais em Saúde, o COEMS. A equipe está à disposição para tirar quaisquer dúvidas sobre o novo coronavírus, ou em caso de surgimento de sintomas, das 7 às 22 horas, todos os dias, através dos telefones (48) 3621-9618 e (48) 3621-9619.

 

Diferença nos números

É importante salientar que em sua página na internet, o Estado apresenta Tubarão com 31 casos positivados pelo Lacen, informação divergente da existente no sistema de acompanhamento, onde constam 29, conforme citado anteriormente. “Essa diferença de dois pacientes pode se dever ao fato de um ter feito o exame em um outro município e nós ainda não recebemos a confirmação, ou ainda que tenha sido feito o exame em nosso município, mas o paciente reside em outra cidade; de qualquer forma, iremos averiguar esta situação junto ao estado e no próximo boletim informaremos”, explica Daisson.