A Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS) comunicou à Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), do Ministério da Justiça e Seguridade Pública, sobre práticas abusivas de aumento de preços por parcela da indústria de queijo e leite.

“O setor supermercadista trabalha incansavelmente para manter o equilíbrio nas relações de consumo diante da lamentável pandemia do coronavírus. E não compactua com a elevação injustificada de preços, principalmente, em período de fragilidade da população no que se refere à saúde pública. Para preservar a população de práticas abusivas, a entidade trabalha em parceria com a Secretaria Nacional do Consumidor e monitora a questão em todo país, com apoio das 27 associações estaduais de supermercados”, emitiu a ABRAS em seu comunicado. 

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, publicou o comunicado da ABRAS em seu Twitter com seu parecer favorável: “A Senacon e o Ministério de Justiça e Segurança Pública de São Paulo atuam em coordenação com o setor privado para coibir a prática de preços abusivos durante a epidemia do coronavírus. Denuncie eventuais abusos”!.

O mesmo ocorre em vários estados do país. Em SC, esta semana, três empresas de laticínios no estado foram notificadas pelo Procon depois que o órgão recebeu uma denúncia sobre o aumento repentino em alguns de seus produtos. As empresas têm um prazo para enviar ao Procon e ao Ministério Público uma justificativa para a subida desses valores. Hoje, há casos de preços de 40% a 50% mais caros.

Foto: G1

Em SC e Tubarão:

https://notisul.com.br/geral/158458/coronavirus-leite-o-maior-vilao-nas-prateleiras