sábado, 19 de outubro de 2019
Facebook Instagram Twitter Youtube
48 3053-4400

Geral

Giro pelo país: Mãe que abandonou recém-nascido em praça diz estar arrependida e fala em depressão: 'Foi um impulso'

Criança foi achada atrás de arbusto por policiais de Rio Preto depois de ligação da mãe. Menino foi levado para abrigo

Publicado em 10/02/2019 19h10

Giro pelo país: Mãe que abandonou recém-nascido em praça diz estar arrependida e fala em depressão: 'Foi um impulso'

São José do Rio Preto (SP)


A mãe que abandonou um bebê recém-nascido em uma praça de São José do Rio Preto (SP) na madrugada de segunda-feira (4) diz que está arrependida e tenta na Justiça conseguir o filho de volta. Por causa do abandono, o recém-nascido foi levado para uma casa-abrigo da cidade.


Em entrevista, a mulher conta que tem depressão e a atitude foi tomada durante um momento de desespero. A mulher de 33 anos diz que está recebendo ameaças depois do ocorrido.

O menino de menos de um mês de vida foi encontrado atrás de um arbusto de uma praça no bairro Alto Rio Preto. A criança foi achada por policiais militares depois de uma ligação anônima informando sobre o local do bebê.

Com o menino, que estava em um bebê conforto, havia uma bolsa com itens de cuidados para bebês, como fraldas e mamadeiras.

Segundo a mãe, foi ela mesma quem ligou arrependida para a polícia, de Mirassol (SP), cidade onde mora, falando do abandono. "Foi um impulso, foi algo que quando eu saí desse momento de nervoso, de angústia, de muito choro, imediatamente eu entrei em contato, eu liguei para o Samu, liguei para a polícia."

Mãe de três filhas, a moradora de Mirassol (SP) conta que ficou grávida do quarto filho após fazer laqueadura, procedimento médico de esterilização para mulheres. A laqueadura rompeu e a mulher engravidou, e o menino nasceu no dia 23 de janeiro deste ano.

Mas segundo a mãe, antes mesmo da gravidez ela já estava com depressão. "Nada tira o fato do ato em si, eu vou responder por isso. Mas o que eu queria deixar em alerta é que as pessoas não se sensibilizem com a depressão só quando se mata enforcado, ou quando alguém, uma mulher, comete um ato suicida pela depressão", desabafa.

A mulher contou durante a entrevista que, quando relatou sobre a gravidez ao companheiro, ele a abandonou. "Assim que eu contei da gravidez, ele foi embora. Seguiu a vida dele e eu segui a minha. Eu nunca quis o dinheiro dele, só queria o apoio emocional, já que eu não estava muito bem”, diz.

Então, 12 dias após o nascimento da criança, a mãe revela que resolveu dar uma volta de carro em São José do Rio Preto e, em um momento de surto, deixou a criança na praça.

“Eu não tinha a intenção de abandoná-lo. Eu nunca faria isso em sã consciência. Sempre cuidei muito bem dos meus filhos”, diz.

Avaliada pela Justiça

De acordo com a equipe médica que recebeu o bebê no Hospital da Criança e Maternidade de Rio Preto, ele estava saudável e não tinha sinais de ferimentos. A advogada da mulher vai entrar na Justiça para tentar a guarda da criança de volta, pois o bebê continua no abrigo.

A Polícia Civil instaurou inquérito para investigar as causas do abandono e a mãe está sendo acompanhada por uma equipe multidisciplinar.

Segundo o juiz da Vara da infância e Juventude, Evandro Pelarin, casos assim são complexos. Mas se ficar comprovado que a mãe apresenta problemas, ela pode ter o filho de volta.

"Nós abrimos um procedimento para avaliar o comportamento da mãe. Nós vamos ver o que aconteceu com essa mãe", diz o juiz.

Enquanto a Justiça e a polícia investigam o caso, o bebê continua no abrigo e as outras três filhas da mulher estão sob cuidados da avó. “O que eu tiver que pagar, eu vou pagar para a Justiça, mas que as pessoas entendam que eu quero ele de volta. Assim como eu tenho as minhas filhas, ele vai receber todo o amor do mundo", completa a mãe.


Fonte: G1
VOLTAR
Banner ServerDo.in
Banner ServerDo.in
Notisul - Um Jornal de Verdade
LIGUE E ASSINE (48) 3053-4400 Rua Ricardo José Nunes, 346 - Jardins de Pádova - Santo Antônio de Pádua - CEP: 88701-571 - Tubarão/SC
Copyright © Notisul - Um Jornal de Verdade 2019.