terça, 21 de agosto de 2018
Facebook Instagram Twitter Youtube
48 3053-4400

Geral

Ceará: Mulher é morta a tiros pela polícia após ser confundida com criminosos

Giselle Araújo (42), estava em meio a uma perseguição policial e fugiu pensando que se afastava de um assalto.

Publicado em 13/06/2018 11h31

Ceará: Mulher é morta a tiros pela polícia após ser confundida com criminosos

Vítima de um tiro nas costas após ser confundida com um criminoso na noite desta segunda-feira (11), Giselle Távora Araújo, de 42 anos, morreu na manhã desta terça-feira (12) no Instituto Dr. José Frota (IJF), onde estava internada.


A vítima foi baleada por um policial militar durante uma perseguição na Avenida Oliveira Paiva, no bairro Cidade dos Funcionários, em Fortaleza, quando trafegava com a filha dela, de 19 anos, em um veículo HB20.


Giselle foi seguida por policiais que faziam motopatrulhamento na região após os agentes confudirem o carro da mulher com o de criminosos. Segundo informações de policiais do 13º DP, um dos agentes teria desferidos dois disparos contra o veículo, alegando no Boletim de Ocorrência que o mesmo não obedeceu à ordem de parada. Um dos tiros atingiu as costas da mulher e a bala teria atravessado a região do tórax.


Após parar no acostamento, a vítima foi socorrida pelo próprio policial e levada ao IJF.


CGD irá investigar conduta de policial

Depois de deixar a vítima no hospital, o agente se apresentou ao 34º Distrito Policial ainda na noite de segunda e em seguida foi encaminhado para a Controladoria Geral de Disciplina (CGD) que, no final da manhã desta terça (12) informou por meio de nota, irá tomar as providências cabíveis referente ao fato ocorrido na Cidade dos Funcionários.


"O policial se apresentou espontaneamente, quando foi interrogado, livrando o flagrante nos termos da legislação penal. Outras diligências estão em andamento no momento", conforme trecho da nota.


Filha da vítima, que estava na casa, afirma que não houve abordagem policial

A filha da vítima disse à reportagem que a mãe dela não parou o carro porque pensou se tratar de um assalto."Não fazíamos ideia que era para a gente. Pensamos que era assalto com outras pessoas. Escutamos disparos e pedi para minha mãe sair dali, até que ela levou um tiro", afirmou. Em suas redes sociais, a filha da vítima desabafou sobre a atitude dos agentes de segurança. Em seu relato, ela chama o PM, autor do disparo, de "incompetente e covarde".


Universidade publica nota de pesar 

Com nota no portal e redes sociais oficiais, a Universidade de Fortaleza (Unifor) se solidarizou com amigos, colegas e familiares de Giselle Araújo, que cursava o curso de Administração na instituição. "Giselle deixa conosco uma história inspiradora que ficará guardada na memória de nosso campus e de todos que fazem parte da Unifor. Desejamos paz para guiar os corações neste momento".


Fonte: Com informações do Portal UOL
VOLTAR
Notisul - Um Jornal de Verdade
LIGUE E ASSINE (48) 3053-4400 Rua Ricardo José Nunes, 346 - Jardins de Pádova - Santo Antônio de Pádua - CEP: 88701-571 - Tubarão/SC
Copyright © Notisul - Um Jornal de Verdade 2017. Desenvolvido por Demand Tecnologia e Bfree Digital