Foto: Richard Drew/ Divulgação

Neste sábado, o mundo relembra os 20 anos do ataque 11 de setembro de 2001. Há precisamente duas décadas, a Al Qaeda cometeu o mais trágico e famoso atentado terrorista do mundo: as duas principais torres do World Trade Center, em Nova Iorque, foram derrubadas após uma colisão com aviões sequestrados pelos subordinados de Osama bin Laden.

Uma das imagens mais marcantes desse acontecimento na história da humanidade foi a foto ‘The Falling Man’ (em tradução, ‘Um Homem em Queda’), que registra um homem se jogando de uma das torres. A imagem polêmica – que quebra a regra jornalística de não exibir cenas de suicídio – retrata o drama das 2.996 vítimas dos atentados de 11 de setembro.

Em uma entrevista à BBC Brasil, o jornalista responsável pela foto, Richard Drew, relatou como foi o dia. “Eu não sei se estavam pulando por escolha própria ou se foram forçados a pular pelo fogo ou pela fumaça. Não sei por que fizeram o que fizeram. Só sei que eu tinha de registrar aquilo”, contou.

A polícia de Nova Iorque não registrou nenhuma morte como ‘suicídio’, afinal, todas as pessoas que pularam das torres foram forçadas por conta do fogo e da fumaça. Era a única alternativa: segundo registros do USA Today e do New York Times, algo entre 50 e 200 pessoas perderam a vida dessa forma naquele dia.

“Muita gente não gosta de ver essa foto. Acho que as pessoas se identificam, e têm medo de ter de enfrentar a mesma decisão que ele algum dia”, completou o fotógrafo à BBC Brasil.

Até hoje, não se sabe quem é o “Homem em Queda”, mas o fato foi investigado por uma incrível matéria da Esquire sobre o tema e virou até documentário. “9/11: The Falling Man” foi dirigido por Henry Singer e estreou em 2006.

Com informações de Hypenes

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul