Tubarão

O futsal tubaronense encarou uma maratona de jogos nas últimas semanas. Foram oito partidas em apenas 11 dias. Duas pela Liga Nacional e outras seis durante os Jogos de Santa Catarina (Jasc) – com direito a duas prorrogações. A equipe da Cidade Azul somou seis vitórias, um empate e apenas uma derrota, sempre correndo até o último segundo, mostrando que está com o fôlego em dia. E muito disso se deve ao trabalho desenvolvido pelo preparador físico Fabiano Silva.

Segundo o profissional, um dos segredos da boa preparação dos atletas, é uma metodologia de trabalho diferente daquela que os jogadores do clube estavam acostumados. 

“Nosso planejamento vem desde o início da temporada, com experiência das outras equipes, de outros trabalhos que desenvolvemos. Trouxemos a proposta para cá. E como equipe nova, tem que passar aos atletas, vender a ideia e eles comprarem essa ideia. Senão as coisas não funcionam”, revela. 

O trabalho, realizado ao longo de todo o ano, é feito para que a parte física dos jogadores vá aumentando a cada semana, chegando cada vez mais perto do ápice. Mesmo assim, a maratona de jogos dos Jasc, com partidas em seis dias seguidos, exigiu um planejamento especial. 

“Fiz uma divisão nos Jasc em três etapas. Eu tinha certeza que íamos chegar nos seis jogos e me programei a isso, quanto a suplementação, controle, recuperação. Nos dois primeiros jogos está com o gás todo, mas nós caímos em uma chave com duas equipes da divisão especial do Catarinense e o dono da casa. Tivemos três jogos de alto nível, e gastamos bastante energia nestes dois primeiros. O terceiro e o quarto é o período mais complicado. No terceiro já começa a mostrar cansaço e o quarto é o mais perigoso, e foi. Eu senti dentro da quadra uma falta de força. E no quinto e sexto é superação total. E isso eu já sabia que a gente ia ter no nosso grupo, e também acreditando no nosso trabalho”, explica Fabiano.

Outro desafio foi o jogo com o Pato Futsal, pela Liga Nacional, no último sábado. A equipe voltou à quadra mostrando um pouco de cansaço, mas sem se entregar ao adversário. 

“Conseguimos arrancar um empate contra uma equipe muito forte fisicamente. O primeiro treinador que eu trabalhei na Liga Futsal foi o Sérgio Lacerda, e sei da intensidade dos treinos deles. Enfrentamos um pouco de dificuldade, pois tínhamos de sete jogos. Com aquele pouquinho que eles tinham, conseguimos empatar o jogo. E agora estamos pausando um pouco, dando uma recuperação maior, pois a recuperação também é uma valência física”, afirma.

Depois da maratona de jogos, a equipe ganhou um descanso após o jogo com o Pato, mas já terá um desafio importantíssimo amanhã, pela última rodada da Liga Futsal, fora de casa, em jogo que vale a classificação para as oitavas de final. 

“A gente tem dois turnos de treinos para jogar. Acredito que as reservas estão bem repostas e vamos com tudo buscar a vitória lá em Blumenau”, completa o preparador.