Tiaguinho foi um dos destaques da equipe na Divisão Especial.
Tiaguinho foi um dos destaques da equipe na Divisão Especial.

Thiago Oliveira
Tubarão

Se o Hercílio Luz conseguir o acesso à Divisão Principal do Campeonato Catarinense, não poderá contar com um dos seus principais jogadores. O lateral Tiaguinho assinou contrato com o Brasil de Pelotas, do Rio Grande do Sul, e jogará pelo Santa Cruz, do mesmo estado, no Gauchão de 2012.

O jogador fechou com o time gaúcho na quarta-feira, antes do clássico com o Atlético Tubarão. Mesmo assim, Tiaguinho continua no Leão até o fim da participação do time na Divisão Especial.
Para o atleta, o convite para atuar no Rio Grande do Sul é um reconhecimento pelo trabalho realizado no Hercílio Luz. “Os momentos em que eu estive aqui ajudei o clube. Quando eu tive a oportunidade de jogar eu fiz gol, dei passes e com certeza deixei um pouco do que eu pude fazer. Mas, independente de quem está jogando, o importante é o Hercílio conseguir o acesso”, afirmou.

Sobre o clássico, o lateral lamentou o resultado. “O jogo não foi o esperado, já que não conseguimos a vitória jogando em casa. Mas temos que respeitar porque enfrentamos uma grande equipe que, com certeza, vai se classificar”, analisou.
Opinião parecida com a de Luis Henrique, que jogou a partida contra o Atlético Tubarão improvisado na zaga. “Foi um jogo atípico, em que prevaleceram as defesas. Foi difícil, do jeito que nós esperávamos”, avaliou.
A notícia ruim fica por conta da lesão do zagueiro Rafael Lima. O jogador, poupado no clássico, ficará parado por 15 dias, por causa de uma lesão na coxa direita.

Mesmo fora do G4, Lessa aprova a evolução do Peixe

O empate no clássico não foi o resultado esperado nem pelo Peixe e nem pelo Leão, mas, enquanto o Hercílio Luz continuou na liderança, o Atlético Tubarão saiu do G4. Mesmo assim, o treinador do Atlético, Fernando Lessa, aprovou o que viu dentro de campo.
“Foi um clássico muito bonito. A única coisa lamentada por quem foi ao estádio foi não ter visto gols. E, para nós, lamento é por termos jogado bem e não sairmos de lá com a vitória”, destacou Lessa.

O treinador contou que montou o time a partir do estilo de jogo do Hercílio Luz, e, por isso, em sua visão, jogou melhor. “Acompanhei bastante os jogos do Hercílio. Eles trabalham muito a bola com Giba e Leonardo, e com os alas, que são os pontos fortes. Consegui colocar Berg na caída do ala direito (Éder Silva), que apóia bastante, e Xavier e Alex marcaram exclusivamente Giba e Leonardo. Assim, nós neutralizamos as jogadas deles, impomos o nosso ritmo, jogamos melhor. Só lamento não termos feito o gol”, afirma.

Mesmo fora do G4, o Atlético Tubarão depende apenas de si para conseguir a classificação à semifinal. Basta vencer as duas partidas que faltam, contra o Joaçaba e o Porto. “A classificação está em nossas mãos. Podemos entrar até em terceiro ou segundo lugar, dependendo de outros resultados, já que outras equipes terão confrontos diretos e o nosso é só com o Porto”, concluiu.

Agressão no clássico

Após o clássico entre Hercílio Luz e Tubarão, uma briga virou caso de polícia. O diretor hercilista Nivaldo Tonelli registrou um boletim de ocorrência contra um outro diretor do Leão. Nivaldo relatou ter sido golpeado pelo acusado e pelo filho com socos no rosto, cabeça e nas costas. A agressão teria sido motivada porque Nivaldo tentou impedi-los de invadirem o vestiário do árbitro Jefferson Schmidt. As agressões só pararam quando o treinador Joceli dos Santos interveio.