Priscila Loch
Tubarão
 
Bastou o Atlético Tubarão não se classificar para as semifinais do turno da Divisão Especial do Campeonato Catarinense para começarem os rumores sobre uma possível demissão do técnico. China garante que em nenhum momento sentiu-se o seu cargo ameaçado, e segue firme com o trabalho de tentar levar o clube tubaronense à elite do futebol estadual.
 
Até porque o Peixe encerrou a primeira fase da competição apenas três pontos atrás do primeiro colocado, Juventus (com 19 pontos), e perdeu apenas no saldo de gols para o último classificado, Hercílio Luz (16). Ficou na sétima posição na classificação geral.
 
“Quem manda no clube é o presidente (Licão), e ele nunca me falou nada em me tirar do cargo. É no dia a dia que a gente aprende. Temos o returno todo para buscar os resultados”, destaca o treinador.
Após a rodada do último fim de semana, quando o Atlético Tubarão venceu o Porto por 3 a 2 mas não conseguiu a classificação, o foco agora é aproveitar a ‘folga’ para aperfeiçoar as partes física e tática. Afinal, o time volta a campo pela Segundona apenas no dia 12 de outubro, contra o Juventus.
 
Além de Leandro Branco, que não deve voltar a disputar o campeonato, Adriano e Adérson também devem desfalcar o time nos primeiros jogos da segunda fase. “No primeiro turno, como choveu muito e íamos muito para o campo sintético, os reforços que chegaram não tiveram muito tempo para acompanhar os demais e o grupo assimilar o que a gente queria. Eu montava o time praticamente na prancheta. Mas daqui para frente vai ser melhor”, acrescenta China, que não acredita na chegada de mais reforços, pelo menos por enquanto.