Jogadores estiveram ontem no Estádio Anibal Costa à espera de uma posição da diretoria
Jogadores estiveram ontem no Estádio Anibal Costa à espera de uma posição da diretoria

 

Thiago Oliveira
Tubarão
 
Enquanto a diretoria busca junto ao Tribunal de Justiça Desportiva de Santa Catarina (TJD-SC) uma forma de continuar na briga por uma vaga à Divisão Principal do Campeonato Catarinense, os jogadores do Hercílio Luz reclamam do atraso de dois meses de salários. Os atletas alegam que nenhum dirigente dá satisfações sobre o caso, ou uma previsão de acerto. 
 
“A gente liga mas eles desligam o celular. Tem gente com família que mora longe, jogadores de outros estados. Todo mundo ganha pouco. Com um mês atrasado, já falta tudo, imagina com dois”, desabafou um dos jogadores.
Os atletas, que continuaram a treinar na semana passada, já que o Leão tinha esperanças de jogar a final do returno, relatam que o clube usava isso como justificativa para ‘segurá-los’. Para eles, agora está claro que o problema principal é a dificuldade para poder pagar os salários.
 
“Eles dizem que vão receber dinheiro do governo. Desde o segundo pagamento, já estão com essa desculpa”, conta outro atleta.
 
O presidente do Hercílio Luz, Michel Mussi negou o atraso de duas folhas e alegou que o período sem pagamento é de um mês. E garantiu que a dívida será quitada o mais rápido possível. “Estamos providenciando. Vamos tentar resolver esse problema o mais rápido possível”, assegurou o presidente hercilista.
 
Especula-se que a folha salarial do clube está na média de R$ 100 mil mensais.
 
Clube decidirá esta semana sobre o recurso contra o Camboriú
Após o arquivamento da denúncia que poderia eliminar o Camboriú da Divisão Especial do Campeonato Catarinense e dar ao Hercílio Luz o direito de disputar a final do returno, o clube busca novas alternativas para continuar a pleitear a vaga para decidir um lugar na Divisão Principal.
Segundo o diretor hercilista Sander Borba, o clube busca meios de recorrer contra a decisão da Federação Catarinense de Futebol. “Até sexta-feira, querem decidir tudo. Vão ver se entram na justiça ou não”, revelou.