Bola é rifada após uma grande defesa do goleiro Rapha, da Hipperfreios/Unisul
Bola é rifada após uma grande defesa do goleiro Rapha, da Hipperfreios/Unisul

Cleber Latrônico
Tubarão

Hipperfreios/Unisul e São José fizeram um jogo eletrizante ontem, no Salgadão, em Tubarão. Daqueles que o ‘futsal sabe’, como poucos esportes, proporcionar. Maicky e Canabarro viram o jogo de camarote. Eles não conseguiram regularizar seus documentos a tempo e estrear. O jogo foi tenso e com muita marcação e provocação entre as duas equipes. E o empate em 2 a 2, péssimo resultado para os tubaronenses, prevaleceu.
 
O time da casa abriu o placar com Gordo e começou a esperar o adversário em sua quadra. Apostava nos contra-ataques, quando Keké empatou para os paulistas. Há 9 minutos do fim da primeira etapa, Gustavo pôs os tubaronenses na frente, para delírio do bom público no Salgadão.
 
Deu tempo ainda para Bolinha desperdiçar um pênalti e, ali, iniciar a série de milagres do goleiro Pezão, do São José. Não faltava raça para os catarinenses, mas o pouco entrosamento ficou visível. Na segunda etapa, a torcida resolveu também entrar em campo. A dupla de arbitragem e Keké eram os “homenageados”.
 
Os paulistas também voltaram diferentes, marcando na quadra adversária. Papite empatou o jogo em uma desatenção dos tubaronenses. A partir daí, a partida ficou franca. Pezão operou mais dois milagres, ao defender duas cobranças.
 
Como se não bastasse, e para desespero do técnico Jarico e da torcida, o goleiro do São José garantiu o empate. A Hipperfreios/Unisul volta a campo amanhã, às 17 horas, contra o Peixe/Mazza, no Salgadão.