Jogando com o apoio da torcida, o Peixe buscou o empate.
Jogando com o apoio da torcida, o Peixe buscou o empate.

Thiago Oliveira
Tubarão

O Atlético Tubarão está a uma vitória fora de casa para avançar à final do returno da Divisão Especial do Campeonato Catarinense. Após estar perdendo por 2 a 1, o time conseguiu o empate e segue vivo na competição.
Jogando em casa, o Peixe começou a partida pressionando o adversário e, logo aos quatro minutos, abriu o placar. Baiano invadiu a área pela direita, tentou cruzar, mas a bola foi direto para o gol.

A equipe ainda teve a chance de ampliar aos 12 minutos, quando Berg entrou na área e foi derrubado, mas o árbitro Rodrigo D’alonso Ferreira mandou o jogo seguir. Pouco depois, Berg machucou-se e foi substituído por Mazinho.
Depois disso, o Atlético Tubarão recuou demais, e viu o time de Ibirama criar as melhores chances. O campeão do turno encurralou o Peixe e virou a partida ainda no primeiro tempo. Aos 26, Vitor Hugo bateu a falta e empatou a partida. Aos 40, Adriano, de cabeça, fez o segundo do Atlético de Ibirama.

O técnico Fernando Lessa foi expulso após reclamar da arbitragem durante o intervalo. Mesmo assim, o Peixe se lançou ao ataque no segundo tempo. Em cinco minutos, o goleiro Paulo Sérgio, do Ibirama, fez duas defesas.
A pressão seguiu forte até os 20 minutos, quando Mazinho empatou para o Tubarão. E, aos 44 minutos, Santos quase virou para o Peixe, mas Paulo Sérgio salvou o Ibirama.
Os dois times voltam a se enfrentar no domingo, no Estádio da Baixada, em Ibirama, a partir das 16 horas. O Atlético Tubarão precisa vencer para avançar.

Leão esquece as confusões e treina para o jogo decisivo

O clima no Estádio Anibal Costa foi o mais tranquilo possível na tarde de ontem. Bem diferente do que foi visto no fim da partida de terça, contra o Camboriú, pelo jogo de ida da semifinal do returno da Divisão Especial do Campeonato Catarinense, quando jogadores do Leão e o treinador Joceli dos Santos entraram em conflito com torcedores.

Na tarde de ontem, o preparador físico Dimas Borges realizou um trabalho com campo reduzido para os reservas do time.
O ala Éder Silva, que não participou do jogo de terça-feira por cumprir suspensão pelo terceiro cartão amarelo mostrou otimismo para o jogo decisivo. “Está tudo na nossa mão. Nada está perdido, só depende de nós. Quem quer ser campeão não pode escolher adversário e nem lugar”, analisa.

O jogador também elogiou Luiz Henrique, que o substituiu no jogo com o Camboriú. “Luiz é um jogador versátil, onde precisar ele joga, e foi muito bem na partida”, avalia Éder.
O atacante Giba, que se lesionou no primeiro tempo do jogo com o Camboriú, fez um exame de imagem que constatou que nada de grave aconteceu com o atleta. Ele está fazendo fisioterapia. Dependendo da sua melhora, poderá atuar no jogo de volta da semifinal, no domingo.